Lojas Renner tem queda em vendas mesmas lojas no 3º tri, 1ª recuo anual desde 2009

segunda-feira, 24 de outubro de 2016 19:35 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Lojas Renner fechou o terceiro trimestre com queda de 3,9 por cento nas vendas no conceito mesmas lojas em relação ao mesmo período de 2015, primeiro recuo anual desde 2009, afetada pelo ambiente econômico ainda desafiador no país, mas também baixas temperaturas e atualização de sistema.

O lucro líquido caiu 11,5 por cento na base anual, para 84,9 milhões de reais, afetado pela baixa contábil de ativos por atualização de sistemas de tecnologia e equipamentos do antigo centro de distribuição de Santa Catarina. Excluído esse impacto, o lucro teria atingido 92,3 milhões de reais.

"Foi um trimestre atípico", disse à Reuters o diretor financeiro e de relações com investidores da empresa, Laurence Gomes, afirmando que uma combinação de fatores externos à companhia com questões internas afetaram as vendas.

O desempenho das vendas no conceito mesmas lojas foi pior do que estimativas de seis analistas de corretoras e bancos compiladas pela Reuters, que variavam de acréscimo de 0,9 por cento a queda de 2 por cento. A última vez que a Lojas Renner apurou queda nesse indicador foi no primeiro trimestre de 2009. No terceiro trimestre de 2015, houve alta de 12,6 por cento.

O lucro também ficou aquém das expectativas compiladas pela Thomson Reuters, de 105,9 milhões de reais.

A receita líquida das vendas com mercadorias da varejista de vestuário subiu 1 por cento ano a ano, a 1,26 bilhão de reais.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou 229 milhões de reais, quase estável ante o resultado de 2015, de 230,5 milhões de reais, pressionado pela operação de varejo, que recuou 10,1 por cento, enquanto o Ebitda ajustado dos produtos financeiros subiu 36,5 por cento.

As projeções da Thomson Reuters apontavam Ebitda de 250,6 milhões de reais.   Continuação...