Black Friday brasileira deve faturar 34% a mais em 2016, prevê idealizador

quarta-feira, 26 de outubro de 2016 17:29 BRST
 

(Republica reportagem para usar no título a palavra idealizador, em lugar de organizador, como está no 1º parágrafo)

SÃO PAULO (Reuters) - A Black Friday brasileira deve movimentar 2 bilhões de reais este ano, de acordo com estimativa de dados gerados a partir do histórico das edições anteriores e com base no tráfego do portal BlackFriday.com.br, idealizador do evento no Brasil.

O montante representa uma alta de 34 por cento ante 2015, apesar do baixo índice de consumo das famílias brasileiras devido à recessão econômica. Há expectativa também de aumento no número de pedido de 28 por cento, para acima de 4 milhões.

"As pessoas estão aguardando a data para as compras de fim de ano. Quem não estava comprando por causa da recessão vai aproveitar o evento atraído pelos descontos", disse Ricardo Bove, diretor da BlackFriday.com.br., em nota à imprensa.

O ticket médio deve ser ao redor de 5 por cento superior ao ano passado, um pouco acima de 500 reais. "Para este ano espera-se leve aumento devido ao amadurecimento da data e relativa estabilização dos produtos mais procurados", afirmou Bove.

De acordo com o mapeamento, as principais intenções de compras para a edição de 2016 são ligadas a produtos com maior valor agregado e de desejo; com destaque para smartphones, televisores, notebooks e eletrodomésticos.

A Black Friday, que chegou ao Brasil em 2011, com o portal Busca Descontos, ocorre neste ano dia 25 de novembro.

"Diferentemente dos Estados Unidos, começamos com um evento online que passou para o varejo físico e, atualmente, a Black Friday brasileira atinge desde o pequeno até o grande varejista", acrescentou Bove.

(Por Paula Arend Laier)