Natura tem queda de 44,6% no lucro líquido do 3º tri, para R$ 73,1 milhões

quarta-feira, 26 de outubro de 2016 21:33 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A fabricante de produtos de beleza Natura fechou o terceiro trimestre com lucro líquido consolidado de 73,1 milhões de reais, uma queda de 44,6 por cento no mesmo período do ano passado, pressionada pela queda na receita e aumento da carga tributária.

A companhia divulgou queda de 4,7 por cento na receita líquida consolidada, para 1,9 bilhão de reais, pressionada pelo desempenho das operações no Brasil, onde a receita líquida consolidada caiu 7,1 por cento, para 1,266 bilhão de reais.

A receita líquida das operações internacionais teve variação positiva de 0,5 por cento, a 637,1 milhões de reais. Para a América Latina, na tradução para reais, os resultados foram impactados de forma desfavorável pela apreciação do real frente à cesta de moedas da região.

De acordo com a Natura, o desempenho no país foi afetado pela "continuidade de um contexto desafiador, em que os consumidores intensificaram a busca por produtos de preços mais baixos (trade down), principalmente nas categorias de perfumaria, corpo e rosto, que são mais sensíveis à renda disponível e que representam cerca de 60 por cento da nossa receita".

Ainda conforme a empresa, esse contexto contribuiu para a queda da frequência de compra do seu canal e retração de 21,9 por cento dos volumes, interrompendo a retomada do crescimento observada no segundo trimestre.

"Diante desse cenário, já ajustamos nossas promoções e mix de produtos para ativarmos mais os nossos consumidores e estimularmos a colocação de pedidos pelas consultoras."

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) consolidado caiu 20 por cento, para 319,8 milhões de reais. A margem Ebitda caiu para 16,8 por cento ante 20 por cento no terceiro trimestre de 2015.

Nas operações do Brasil, o Ebitda caiu 34,2 por cento, pressionado pela retração da receita líquida, efeitos não-recorrentes que favoreceram o resultado do terceiro trimestre de 2015 (venda de ativos), aumento das despesas de propaganda com foco em relançamentos, alta das despesas administrativas e elevação da carga tributária.

O Ebitda das operações internacionais subiu 49 por cento na base anual. Segundo a Natura, quando traduzido para reais e incorporado aos resultados consolidados, o impacto desfavorável da apreciação do real nos resultados de América Latina foi compensado pela manutenção do crescimento acelerado da receita com alavancagem operacional.   Continuação...