Dólar sobe 1,3% e encosta a R$3,20 após notícia sobre Hillary e PIB dos EUA

sexta-feira, 28 de outubro de 2016 18:18 BRST
 

Por Claudia violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou a sexta-feira com alta de 1,3 por cento, bem próximo do patamar de 3,20 reais, impactado pela notícia de que o FBI abriu nova investigação sobre emails da candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, algo que poderia arranhar sua candidatura.

A moeda norte-americana já subia de forma consistente desde cedo, influenciada pelo crescimento mais forte do que o esperado na economia dos Estados Unidos, em meio às apostas de que os juros devem voltar a subir neste ano na maior economia do mundo. A proximidade da formação da Ptax também pesou.

O dólar avançou 1,30 por cento, a 3,1965 reais na venda, perto da máxima do dia, de 3,2056 reais. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,60 por cento no final da tarde.

Na semana, a moeda norte-americana acumulou ganhos de 1,14 por cento sobre o real, interrompendo três quedas semanais seguidas.

"Ninguém quer ficar vendido no final de semana com esse tipo de notícia no ar", resumiu um operador de uma corretora nacional, referindo-se às eleições norte-americanas.

O FBI informou nesta tarde que a agência vai investigar emails adicionais que surgiram relacionados com o uso de um servidor de email pessoal de Hillary para determinar se contêm informações sigilosas, acrescentando que não está claro o quão significativo o novo material pode ser.

A candidata democrata agrada mais ao mercado do que o republicano Donald Trump e a notícia saiu a poucos dias da eleição norte-americana, em 8 de novembro. Até agora, Hillary tem estado à frente nas pesquisas de opinião.

Uma das moedas mais afetas pela notícia foi o peso mexicano, que passou a subir por causa da posição adversa que Trump tem em relação aos imigrantes.   Continuação...

 
Homem conta notas de dólar no Cairo, Egito
24/10/2016 REUTERS/Mohamed Abd El Ghany