Braskem vê melhora em demanda brasileira por petroquímicos

segunda-feira, 15 de maio de 2017 15:01 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Braskem está percebendo uma melhora na demanda brasileira por produtos petroquímicos, com destaque para os setores automotivo e de construção civil, afirmou o presidente da companhia nesta segunda-feira.

"A demanda cresceu 5 por cento (do mercado brasileiro no primeiro trimestre). Já dá para notar alguns setores mais otimistas e isso está se traduzindo em aumento de volume concreto, com destaque para setor automotivo", disse o presidente da Braskem, Fernando Musa, em teleconferência com jornalistas.

Ele se referiu especificamente ao aumento das exportações do setor automotivo, que no primeiro quadrimestre deste ano acumula crescimento de 64 por cento sobre o volume embarcado um ano antes.

Musa também comentou sobre o mercado interno de PVC, um dos principais produtos da Braskem e usado em áreas como tubulações residenciais. Segundo o executivo o segmento teve aumento "expressivo" de demanda no primeiro trimestre, "o que é indicação de que mercado de construção civil aos pouquinhos está se recuperando".

A analistas do setor, o executivo afirmou que a Braskem espera elevar volumes de vendas no Brasil no segundo semestre em relação à primeira metade deste ano, diante da expectativa de melhora da economia, o que deverá fomentar a demanda por resinas e outros produtos da companhia.

Mais cedo, o Banco Central informou que o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) teve crescimento de 1,12 por cento de janeiro a março sobre o quarto trimestre de 2016, mas os dados não apontaram para uma retomada linear ou forte da economia.

Apesar da expectativa de aumento de vendas, Musa comentou que a empresa ainda não vai mexer na previsão feita no final do ano passado de crescimento de 2 a 3 por cento na demanda brasileira por produtos petroquímicos neste ano. Ele estimou ainda que o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) nos próximos nove meses no país deve recuar ante o recorde atingido no primeiro trimestre por causa de preços menores dos produtos.

Às 14:55, as ações da Braskem tinham variação negativa de 0,06 por cento, a 33,96 reais, após terem avançado quase 4 por cento na máxima até o momento mais cedo. O Ibovespa tinha acréscimo de 0,5 por cento.

A Braskem divulgou mais cedo lucro líquido não auditado de 1,9 bilhão de reais para o primeiro trimestre, cerca de duas vezes e meia acima do resultado positivo obtido um ano antes, apoiado em fatores que incluíram aumento de preços de resinas no Brasil e redução de despesas financeiras.   Continuação...