Aversão a risco no exterior corrobora ajuste negativo no Ibovespa

quarta-feira, 17 de maio de 2017 11:26 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista recuava nesta quarta-feira, após subir por seis pregões seguidos, tendo como pano de fundo o cenário externo menos favorável a ativos de risco diante de preocupações com o governo do presidente norte-americano, Donald Trump.

A sessão é marcada ainda por vencimento de opções sobre o Ibovespa, o que pode adicionar alguma volatilidade aos negócios.

Às 11:24, o Ibovespa caía 0,9 por cento, a 68.062 pontos. O giro financeiro era de 1,74 bilhão de reais.

A cautela no exterior ganhou força após notícias de que o presidente dos Estados Unidos teria pedido ao então diretor do FBI, James Comey, para encerrar investigação sobre as ligações entre o ex-conselheiro de segurança nacional da Casa Branca Michael Flynn e a Rússia.

"As notícias de Washington aumentam as preocupações já crescentes com a agenda econômica que deveria impulsionar a expansão econômica com uma reforma tributária dramática, iniciativa de infraestrutura e reorientação do comércio", escreveram analistas do banco de investimentos Brown Brothers Harriman (BBH).

Localmente, as atenções seguem voltadas às reformas, com destaque para a da Previdência, e investidores aguardando a votação da medida no plenário da Câmara dos Deputados.

DESTAQUES

- JBS ON tinha baixa de 2,54 por cento, ampliando as perdas da véspera após o balanço do primeiro trimestre e com as operações da Polícia Federal envolvendo o nome da empresa ainda pesando sobre o ativo. Também no radar estavam as expectativas quanto à oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) nos Estados Unidos da subsidiária JBS Foods International. Na véspera, o presidente da JBS disse que ainda vê o segundo semestre como uma janela para a realização do IPO.   Continuação...