Colômbia deve descumprir meta para o café em 2013, diz entidade

sexta-feira, 2 de novembro de 2012 20:21 BRST
 

CARTAGENA, Colômbia, 2 Nov (Reuters) - A produção de café da Colômbia deve crescer em 2013, mas não o suficiente para cumprir a meta da federação dos cafeicultores, que é de pelo menos 10 milhões de sacas de 60 kg, segundo a associação dos exportadores de café do país.

O grupo disse que muitos produtores não têm condições financeiras para adquirir fertilizantes, e que por isso a produção não deve alcançar a meta.

Maior produtor mundial de café arábica de alta qualidade, a Colômbia há anos descumpre suas metas de produção, por causa de fatores climáticos e de pragas nos cafezais.

A produção foi de 8,5 milhões de sacas em 2012, e deve saltar para 9 milhões no ano que vem. Mas o aumento nos custos de produção e o baixo preço do café no mercado estão afetando as margens de lucro dos cafeicultores, e isso contribui para manter baixo o uso de fertilizantes, segundo Carlos Ignácio Rojas, diretor-executivo da entidade privada Asoexport.

"É um grande desafio chegar a 10 milhões de sacas", disse Rojas à Reuters na quinta-feira em Cartagena. "Não podemos controlar as decisões dos produtores. Se eles reduzirem a fertilização agora, veríamos os efeitos em 2013."

A federação colombiana dos cafeicultores previu em meados de outubro que, graças à melhora nas condições climáticas, a próxima safra poderia chegar a 10 milhões de sacas.

Rojas disse que os proprietários de cerca de 200 mil hectares de cafezais renovados em 2007, 2008 e 2009, que já começaram a frutificar, deveriam estar fertilizando seu solo agora, mas que muitos decidiram poupar ou eliminar o uso de agroquímicos.

"Até mesmo os grandes cafeicultores não conseguem fertilizar, porque estamos vendendo os grãos com prejuízo", disse o cafeicultor Juan Álvaro Arboleda, que cultiva 300 hectares na província de Antioquia (norte). "Precisamos começar a sacrificar a renovação, a fertilização e outros gastos."

(Reportagem de Diana Delgado)