Goldman Sachs corta lista de sócios para controlar despesas

segunda-feira, 5 de novembro de 2012 08:23 BRST
 

(Reuters) - O Goldman Sachs reduziu o número de funcionários listados como sócios do banco para ajudar no controle de despesas.

A instituição cortou o número de sócios para 407, 31 a menos que em fevereiro, segundo comunicado enviado ao mercado de capitais norte-americano no domingo. O banco não identificou os parceiros que foram cortados.

Se tornar um sócio do Goldman é um título cobiçado em Wall Street pelo prestígio e pela lucrativa compensação. Menos associados foram escolhidos este ano em função de uma forte queda no número de funcionários do banco.

Desde o final de 2010, o banco de investimento cortou 3.100 funcionários do seu quadro total, uma redução de 9 por cento.

A partir de 2011, vários sócios deixaram o banco de investimento, incluindo alguns executivos graduados como David Heller e Ed Eisler, dois co-diretores dos negócios do Goldman com títulos.

No mês passado, o vice-presidente financeiro do Goldman Sachs, David Viniar, afirmou que a instituição já terminou a maior parte de um programa de economia de custos que tem por objetivo reduzir despesas anuais em 1,9 bilhão de dólares.