Bombardier anuncia demissões e atraso no voo do C-Series

quarta-feira, 7 de novembro de 2012 11:02 BRST
 

7 Nov (Reuters) - A canadense Bombardier disse que vai atrasar em cerca de seis meses o primeiro voo de seu avião C-Series e cortar cerca de 1,2 mil empregos em sua divisão de fabricação de trens.

A companhia, que também divulgou um aumento de 10 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre, informou ainda que vai fechar uma fábrica de vagões em Aachen, na Alemanha.

Maior fabricante de trens do mundo e terceira maior produtora de aeronaves, a Bombardier possui cerca de 70 mil empregados, sendo 400 na fábrica de Aachen.

A empresa, que está investindo 3,3 bilhões de dólares para desenvolver os jatos C-Series de 110 a 149 passageiros, disse em agosto que se consideraria dentro do prazo se o primeiro voo da nova aeronave fosse realizado em um período de três a cinco meses.

Mas a empresa disse nesta quarta-feira que, após consultas com fornecedores, o primeiro voo do C-Series agora acontecerá no fim de junho de 2013.

A Bombardier compete com a fabricante brasileira de jatos Embraer no mercado de aviões regionais.

Havia expectativa que a Bombardier fosse adiar o voo inaugural do C-Series por causa do complexo programa de desenvolvimento do projeto, e analistas consideravam o prazo inicial muito ambicioso.

Muitos analistas disseram que o atraso em seis meses não deve gerar preocupações, mas um atraso mais longo pode causar algum receio.

O lucro líquido da Bombardier subiu para 212 milhões de dólares, ou 0,12 dólar por ação, ante 192 milhões de dólares, ou 0,11 dólar por ação, na comparação anual.

A receita caiu 6 por cento, para 4,34 bilhões de dólares.

(Por Susan Taylor e Bhaswati Mukhopadhyay)