ANÁLISE-Potência no etanol, Brasil avança no biodiesel

quarta-feira, 7 de novembro de 2012 16:31 BRST
 

Por Caroline Stauffer

SÃO PAULO, 7 Nov (Reuters) - Multinacionais estão investindo na produção de biodiesel no Brasil, que está próximo de se tornar o maior produtor do mundo de soja, a principal matéria-prima para o biocombustível no país.

A aposta é na crescente demanda, mais do que no potencial de exportação, num país que consome mais diesel do que gasolina. Muitos acreditam que em breve o Brasil pode elevar a mistura obrigatória de biodiesel no combustível.

A Bunge teve aprovação no mês passado para o início das operações de planta de 30 milhões de dólares de biodiesel no Brasil em 2013.

Ao mesmo tempo, a Cargill abriu em agosto sua primeira planta de biodiesel perto de sua planta processadora de soja em Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul, em investimento de 64,5 milhões de dólares.

"O biodiesel é um mercado relativamente novo, e está crescendo no Brasil", disse Elcio de Angelis, gerente de biodiesel da Cargill no Brasil, à Reuters. "Como sua principal matéria-prima é o óleo de soja, isso complementa nossa capacidade existente."

Mais plantas de biodiesel aumentariam a demanda por óleo de palma e de soja, sustentando os preços destas commodities, e podendo reduzir a dependência do Brasil na importação de diesel.

INDÚSTRIA BILIONÁRIA

A indústria de biodiesel cresceu e movimenta 6 bilhões de dólares por ano desde que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estimulou produtores familiares a cultivar palma e mamona para a produção de biocombustíveis como forma de promover o desenvolvimento rural uma década atrás.   Continuação...