Economia chinesa está melhorando; política é flexível--BC

quinta-feira, 8 de novembro de 2012 10:42 BRST
 

Por Kevin Yao

PEQUIM, 8 Nov (Reuters) - A economia da China está mostrando sinais de melhora e a configuração da política monetária irá garantir continuidade e flexibilidade em 2013, afirmou nesta quinta-feira o presidente do Banco do Povo do China, banco central do país, Zhou Xiaochuan.

Zhow falou a repórteres às margens do Congresso do Partido Comunista da China, que está se reunindo para escolher novos líderes contra o pano de fundo de uma recuperação do período mais fraco de crescimento do país desde a crise financeira de 2008 e 2009.

"Dados de outubro estão mostrando sinais de melhora. A tendência da economia doméstica está evoluindo numa direção boa. Nós vamos manter continuidade e flexibilidade na política do ano que vem", disse Zhou.

A recuperação da China deve se fortalecer em outubro e dados que serão divulgados na sexta-feira podem cimentar as expectativas do investidor de uma recuperação nascente.

Investimento em ativos fixos e crescimento da produção industrial são números essenciais para serem observados entre a série de divulgações de sexta-feira --que também incluem inflação ao consumidor e ao produtor, assim como vendas no varejo-- ao passo que eles são termômetros tanto da atividade doméstica como da produção do setor industrial da China, voltado para as exportações.

O consenso entre economistas é que a longa desaceleração do crescimento da China nos últimos sete trimestres tenha terminado no terceiro trimestre deste ano, quando a atividade recuou para 7,4 por cento na base anual. Uma pequena recuperação para 7,7 por cento é esperada para o quatro trimestre e o crescimento para o ano continua caminhando para ser o mais lento desde 1999.

Dúvidas continuam, enquanto isso, sobre a dependência da demanda externa --as exportações foram equivalentes a aproximadamente 31 por cento do PIB chinês em 2011, de acordo com o Banco Mundial, com o setor externo apoiando cerca de 200 milhões de empregos--, apesar de algumas pesquisas do setor industrial de 1o de novembro terem sinalizado que a economia começou a se recuperar no mês passado.