Falta de energia causada por Sandy diminui nos EUA

domingo, 11 de novembro de 2012 11:39 BRST
 

NOVA YORK, 11 Nov (Reuters) - O número de residências e empresas ainda sem energia elétrica no leste dos Estados Unidos quase duas semanas depois da passagem da super tempestade Sandy caiu para abaixo de 300.000 no sábado, sendo quase metade em Long Island, em Nova York, mostraram dados do governo.

A Autoridade de Energia de Long Island (LIPA, na sigla em inglês), que vem sendo criticada por sua reposta ao Sandy, ainda tem 130.000 clientes sem energia elétrica, metade deles no condado de Nassau e mais de 30.000 na península Rockaway, segundo números da LIPA. O número está abaixo dos 207.000 na sexta-feira.

No total, 145.000 clientes na zona afetada tiveram a energia elétrica restaurada, disse o Departamento de Energia, deixando 289.239 sem energia em Nova York, Nova Jersey e na West Virginia até a manhã de sábado.

Cerca de 8,5 milhões de pessoas em quase duas dúzias de Estados na Costa Leste ficaram sem energia elétrica depois da passagem do Sandy na região da cidade de Nova York.

Outras instalações que também foram atingidas de forma dura conseguiram se recuperar mais rapidamente. O Public Service Enterprise Group (PSE&G), de Nova Jersey, que teve cortes no pico de 1,7 milhão, restaurou a energia para todos os seus clientes, com exceção de 23.000, até a manhã de sábado.

A Consolidated Edison, que serve a cidade de Nova York e o condado de Westchester, só tinham 15.000 clientes sem energia elétrica, dos cerca de mais de 1 milhão, segundo seu site.

Quase todos os 1,1 milhão de clientes da estatal LIPA ficaram sem energia elétrica por causa do Sandy; outros ficaram sem luz por causa da tempestade Nor'easter que chegou uma semana depois. A empresa tem agora 14.000 pessoas, incluindo 8.200 podadores de árvores e operários, trabalhando na área.

A companhia foi uma das que mais demorou a se recuperar, tornando-se alvo de duras críticas de moradores e políticos. O governador Andrew Cuomo disse na quinta-feira que a LIPA "falhou com os consumidores", e ameaçou substituir a administração do grupo.

(Por Chris Francescani e Jonathan Leff)