November 12, 2012 / 9:49 AM / 5 years ago

Economia do Japão encolhe com menor investimento empresarial

6 Min, DE LEITURA

Dados mostram que governo ainda mantém pressão sobre Banco Central do Japão. 25/11/2009Yuriko Nakao

Por Leika Kihara e Kaori Kaneko

TÓQUIO, 12 Nov (Reuters) - A economia do Japão encolheu no terceiro trimestre pela primeira vez desde o ano passado, ampliando os sinais de que a desaceleração do crescimento global e as tensões com a China estão levando a terceira maior economia do mundo a uma recessão.

A queda de 0,9 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) ficou em linha com as expectativas, embora o recuo nos gastos de capital tenha sido bem mais forte do que o previsto. Sony Corp e Panasonic Corp reduziram os planos de gastos para lidar com fortes perdas uma vez que enfrentam mercados competitivos e um iene forte.

O recuo do PIB se traduz em uma taxa anualizada de queda de 3,5 por cento, mostraram dados do governo nesta segunda-feira. Enquanto o crescimento dos Estados Unidos mostrou uma modesto avanço no terceiro trimestre, as economias do Japão e da zona do euro estão encolhendo.

"Os dados do PIB confirmam que a economia caiu em recessão", disse o economista sênior do Mitsubishi UFJ Morgan Stanley Securities em Tóquio, Tatsushi Shikano. "O país está a caminho de um segundo trimestre seguido de contração no trimestre atual."

Uma recessão é comumente definida como dois trimestres consecutivos de contração.

Os dados mantêm a pressão do governo sobre o Banco do Japão, banco central do país, para impulsionar o estímulo monetário mesmo depois de ter afrouxado a política em outubro pelo segundo mês seguido, uma vez que um iene forte e uma disputa territorial com a China exacerbam a demanda fraca por exportações.

O ministro da Economia, Seiji Maehara, afirmou que o banco central deveria buscar um afrouxamento de política forte para impulsionar a economia, embora o presidente do BC, Masaaki Shirakawa, tenha dito que o governo deve fazer sua parte também.

Muitos analistas esperam que o BC deixe a política inalterada em uma revisão na próxima semana, mas alguns veem a possibilidade de um aumento de estímulo de novo na reunião de 19 e 20 de dezembro, pouco depois de uma reunião do Federal Reserve, o banco central norte-americano.

A demanda externa respondeu por 0,7 ponto percentual da contração do PIB entre julho e setembro, em linha com a mediana das projeções. As exportações do Japão caíram 5,0 por cento no período, a maior queda desde o declínio de 6 por cento visto entre abril e junho do ano passado, de acordo com os dados.

A disputa com a China sobre a soberania de algumas ilhas no Mar do Leste da China causou protestos violentos na China e o boicote a produtos japoneses, o que se somou à queda nas exportações, particularmente de fabricantes de automóveis como a Nissan Motor.

O consumo privado --que responde por aproximadamente 60 por cento da economia-- caiu 0,5 por cento no terceiro trimestre, frente à previsão de queda de 0,6 por cento.

As despesas de capital recuaram 3,2 por cento, o ritmo mais rápido de declínio desde a queda de 5,5 por cento entre abril e junho de 2009, ao passo que as empresas ficaram mais pessimistas sobre seus lucros tanto no mercado doméstico como internacional.

No enfermo setor de eletrônicos do Japão, a Sony planeja reduzir os gastos de capital em 29 por cento no ano até março de 2013 e a Panasonic planeja um corte de 27 por cento, depois de registrarem enormes perdas nos negócios de fabricação de TVs.

As empresas estão sofrendo para competir com rivais mais ágeis, como a sul-coreana Samsung Electronics e a norte-americana Apple, e com um aumento estável do iene, o que torna os produtos japoneses mais caros.

Analistas dizem que as empresas japonesas enfrentam incertezas demais para planejar gastos futuros com confiança, e que isso não deve mudar no atual trimestre.

A resolução da longa crise da zona do euro não está mais próxima, aumentos de impostos e cortes de gastos no começo de 2013 nos Estados Unidos podem colocar o país em recessão a menos que o Congresso aja e, somando-se às incertezas domésticas, o primeiro-ministro do Japão, Yoshihiko Noda, prometeu convocar eleições nacionais "em breve" para quebrar um impasse político.

O economista sênior do JPMorgan Securities Masamichi Adachi disse que o investimento empresarial cairá novamente no quarto trimestre, uma vez que a economia global se recupera apenas gradualmente.

"Se algumas dessas incertezas forem removidas, é possível que as coisas melhorem", disse Adachi.

Ele prevê que os gastos de capital cairão 0,5 por cento entre outubro e dezembro e então subirão 0,7 por cento entre janeiro e março.

A economia do Japão teve desempenho superior ao da maioria dos países do G7 no primeiro semestre do ano, com consumo privado forte e gastos para reconstrução após o terremoto do ano passado.

Mas o crescimento estagnou desde então. De fato, a expansão do segundo trimestre foi revisada para baixo na última divulgação, para apenas 0,1 por cento. A última contração econômica trimestral foi no período entre outubro e dezembro de 2011, quando o PIB caiu 0,3 por cento.

Com o efeito econômico da reconstrução do terremoto e do tsunami do ano passado acabando, o governo reconheceu na semana passada que seu índice de indicadores antecedentes caiu para um nível sugerindo o início de uma recessão.

"Eu não posso negar a possibilidade de que o Japão caiu numa fase de recessão", disse Maehara a repórteres depois que os dados foram divulgados.

Ele disse esperar que o Banco do Japão, banco central do país, faça um forte afrouxamento da política, apesar de o presidente do BC Shirakawa ter destacado num discurso que somente inundar os mercados com dinheiro não irá inflacionar a economia quando as taxas de juros estão perto de zero. O governo deve impulsionar o potencial de crescimento da economia com desregulamentação e reforma estrutural, disse ele.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below