Ações asiáticas enfraquecem por PIB japonês fraco e temor com abismo fiscal

segunda-feira, 12 de novembro de 2012 08:17 BRST
 

TÓQUIO, 12 Nov (Reuters) - As ações asiáticas mostraram fraqueza nesta segunda-feira, à medida que preocupações com o abismo fiscal nos Estados Unidos e o programa de resgate da Grécia feriram o otimismo sobre os perspectivas de crescimento das duas maiores economias do mundo, os Estados Unidos e a China.

Somando-se às incertezas, o Japão reportou que sua economia encolheu 0,9 por cento entre julho e setembro em relação ao trimestre anterior, a primeira contração em três trimestres, sugerindo que a vacilante demanda global e os fracos gastos do consumidor podem colocar a terceira maior economia do mundo numa pequena recessão.

Às 8h02 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão estava praticamente estável, com oscilação positiva de 0,02 por cento, depois de encerrar a semana passada com perdas de 0,7 por cento, no menor nível em uma semana.

Os setores de energia e materiais tinham os piores desempenhos, pesando sobre o índice australiano, dependente de matérias-primas, que recuou 0,31 por cento.

As ações sul coreanas cederam 0,19 por cento, enquanto Hong Kong teve alta de 0,21 por cento e Xangai subiu 0,49 por cento.

O índice Nikkei do Japão recuou 0,93 por cento, registrando o menor nível em quatro semanas.

A bolsa de Taiwan caiu 0,35 por cento, enquanto Cingapura teve ligeira queda de 0,07 por cento.

"Os investidores continuam tomados pelas consequências do abismo fiscal dos Estados Unidos, e isso está limitando o entusiasmo do mercado, com um obstáculo tão significativo mantendo-se no caminho dos mercados financeiros", afirmou o operador sênior do CMC Markets, Tim Waterer.

O presidente Barack Obama convidou na sexta-feira líderes do Congresso para a Casa Branca, iniciando as negociações para evitar o abismo fiscal em busca de um compromisso para cortar o déficit norte-americano antes que aproximadamente 600 bilhões de dólares em cortes de gastos e aumentos de impostos entrem em vigor no começo de 2013.

Analistas dizem que o abismo fiscal pode tirar a economia norte-americana dos trilhos, a qual tem mostrado sinais de uma recuperação modesta.

(Reportagem de Chikako Mogi; reportagem adicional de Narayanan Somasundaram em Sydney e Lisa Twaronite em Tóquio)