Depressão grega aprofunda-se no terceiro trimestre

quarta-feira, 14 de novembro de 2012 12:47 BRST
 

Por Renee Maltezou

ATENAS, 14 Nov (Reuters) - A recessão econômica da Grécia aprofundou-se no terceiro trimestre, com a atividade encolhendo 7,2 por cento na base anual, ao passo que o endividado país caminha para o sexto ano de depressão.

A contração foi maior do que a queda de 6,3 por cento do segundo trimestre e segue-se à aprovação do duro orçamento para 2013 pelo governo do primeiro-ministro Antonis Samaras, que deve continuar a pressionar o crescimento por boa parte do ano que vem.

Desde 2009, o declínio econômico do país --o qual Samaras chamou de "Grande Depressão" da Grécia-- cortou um quinto da produção econômica e deixou um em cada quatro gregos desempregado.

A leitura pode indicar um cenário ainda mais pessimista, disseram analistas, porque foi compensado por retornos melhores do que o esperado do vital setor de turismo do país, que responde por um quinto da economia de 215 bilhões de euros da Grécia.

Uma nova onda de cortes de salários e pensões definida com os credores internacionais do país para 2013, junto com uma escassez de liquidez, deve ampliar os problemas econômicos, deixando a recuperação ainda mais distante.

"A recessão vai continuar a se aprofundar até a primeira metade de 2013, devido à implementação de todos os cortes", disse o diretor de serviços de investimento do banco Marfin Egnatia, Xenophon Damalas.

"Se não tivéssemos tido um cenário tão bom no turismo neste ano, a recessão teria sido mais profunda."

O PIB da Grécia para o trimestre foi 20 por cento menor em termos reais do que a produção no terceiro trimestre de 2008, quando a contração começou. A estimativa, divulgada pelo serviço de estatísticas ELSTAT, teve como base dados não ajustados sazonalmente. Não foram dados mais detalhes.

Em seu plano fiscal de médio prazo, o governo espera que a economia encolha 6,5 por cento em 2012 e 4,5 por cento no ano que vem. O governo prevê que uma pequena recuperação comece no fim de 2013 e crescimento de 0,2 por cento em 2014.

(Reportagem de Renee Maltezou e Lefteris Papadimas)