ATUALIZA 1-Autoridades do Fed veem mais compra de títulos em 2013

quarta-feira, 14 de novembro de 2012 18:01 BRST
 

Por Alister Bull

WASHINGTON, 14 Nov (Reuters) - Um número de autoridades do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, acredita que o Fed teria que intensificar compras de ativos no ano que vem para preencher uma lacuna quando seu programa "Operação Twist" expirar, mostrou a ata da reunião do Fed de outubro.

A ata, divulgada nesta quarta-feira, também revela que as autoridades sentiram que a sua decisão de lançar uma terceira rodada do chamado "quantitative easing" (compra de ativos ou QE3) facilitou as condições financeiras e ajudou a sustentar uma recuperação no mercado imobiliário dos EUA.

"Integrantes indicaram que compras adicionais de ativos provavelmente seriam apropriadas no ano que vem, após a conclusão do programa de extensão de prazos com o objetivo de gerar uma melhora significativa no mercado de trabalho", publicou o Fed, em referência à reunião do Comitê de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) da autoridade monetária.

Com a "Operação Twist", o Fed vende instrumentos de curto prazo para a compra de 45 bilhões de dólares por mês em dívida de longo prazo, com o objetivo de reduzir os custos de empréstimos também de longo prazo.

Paralelamente, o Fed está comprando diretamente um total de 40 bilhões de dólares em ativos hipotecários por mês, como parte do chamado "QE3". A autoridade monetária planeja dar continuidade a essas compras até observar uma melhora significativa na perspectiva do mercado de trabalho.

Um membro do Fomc com poder de voto, o chefe do Federal Reserve de Richmond, Jeffrey Lacker, votou contra a decisão tomada na reunião de 23 e 24 de outubro de continuar com as compras mensais de ativos hipotecários.

A ata deixou claro que ele não foi a única autoridade a expressar temor de que a ação agressiva pudesse elevar a inflação no futuro.

"Vários membros questionaram a eficiência das atuais compras ou se sua continuidade seria necessária caso o recente ritmo moderado de recuperação econômica continuasse", completou a ata.

O Fed quase zerou as taxas de juros em dezembro de 2008 e comprou cerca de 2,3 trilhões de dólares em instrumentos para reduzir outros custos de financiamento e desencadear uma recuperação mais forte da economia.

Embora haja sinais de ganho de fôlego, a taxa de desemprego continua persistentemente alta no país, em 7,9 por cento.