Nikkei contraria fraqueza de ações globais após queda do iene

sexta-feira, 16 de novembro de 2012 08:42 BRST
 

CINGAPURA, 16 Nov (Reuters) - O índice Nikkei do Japão subiu pelo segundo dia nesta sexta-feira à medida que o iene em queda estimulou exportadores, indo na direção contrária da tendência global que levou ações em outros lugares na Ásia a caírem mais de 2 por cento na semana, em meio a preocupações com o iminente "abismo fiscal" dos EUA.

O iene permaneceu perto da mínima em seis meses e meio contra o dólar depois que Shinzo Abe, líder da oposição e próvável próximo primeiro-ministro do Japão, pediu na quinta-feira que o banco central do país adote taxas de juros zero ou abaixo de zero para impulsionar o empréstimo.

Às 7h52 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão recuava 0,39 por cento, o que o põe a caminho de uma perda semanal de 2,2 por cento.

O Nikkei do Japão, porém, saltou 2,2 por cento, ampliando o aumento de quase 2 por cento na quinta-feira, com ganhos liderados por exportadores como a Canon Inc. e a Nissan Motor Co Ltd.

"Expectativas sobre como o novo partido (no governo) irá lidar com a deflação (no Japão) estão ofuscando as persistentes preocupações sobre o abismo fiscal dos EUA por enquanto", disse o gerente geral do SMBC Nikko Securities, Hiroichi Nishi.

O iene firmou-se em torno de 81 ienes por dólar na sexta-feira, depois de cair para até 81,46 na quinta-feira.

Mas longe do Japão, investidores continuavam cautelosos em comprar ações mais arriscadas, assustados com a incerteza sobre a batalha do orçamento norte-americano, a recaída da zona do euro em recessão e a violência no Oriente Médio.

"Haverá bastante manchetes negativas nas próximas semanas que pesarão sobre ações de risco e estimularão o dólar, que está novamente sendo negociado como um ativo seguro mesmo quando as más notícias são geradas pelos EUA. Nós duvidamos que haverá um acordo antes do final de dezembro", disse em uma nota o estrategista de câmbio sênior Sean Callow, do banco Westpac, em Sydney.

A bolsa de Cingapura tinha oscilação negativa de 0,01 por cento, e Taiwan registrava queda de 0,19 por cento, enquanto Hong Kong avançou 0,24 por cento. O índice referencial de Xangai recuou 0,77 por cento e Sydney caiu 0,29 por cento.

(Reportagem de Alex Richardson; reportagem adicional de Lisa Twaronite e Ayai Tomisawa, em Tóquio, e Masayuki Kitano e Manash Goswami, em Cingapura)