China cancela compras de soja dos EUA; eleva pressão sobre preços

sexta-feira, 16 de novembro de 2012 09:25 BRST
 

Por Niu Shuping e Naveen Thukral

PEQUIM/CINGAPURA, 16 Nov (Reuters) - Importadores chineses cancelaram pedidos de cerca de 600 mil toneladas de soja dos Estados Unidos, informou um instituto oficial nesta sexta-feira, uma vez que a fraca demanda doméstica e uma recente queda nos preços tornou as compras desvantajosas.

O cancelamento de cargas pela China, maior comprador mundial, vai pesar sobre os futuros na bolsa de Chicago (CBOT), que já caíram mais de 20 por cento desde que atingiram a máxima recorde de 17,9475 dólares por bushel em 5 de setembro.

O Centro Nacional de Informação de Grãos e Oleaginosas da China (CNGOIC) não disse quando os pedidos, equivalentes a 10 cargas, foram cancelados, mas informou que eram para entrega em dezembro e janeiro, indicando que haviam sido agendados bem antes da recente queda dos preços.

"É realmente baixista para o mercado, uma vez que a China não teve cancelamentos múltiplos de cargas há um bom tempo", disse um analista agrícola baseado em Melbourne. "Para onde os grãos vão quando o maior importador está se afastando?"

O contrato da soja em Chicago na sexta-feira estava no caminho para uma terceira semana consecutiva de queda, com ofertas dos EUA e expectativas de uma boa produção na América do Sul afetando o mercado.

O Brasil, um dos maiores produtores globais de soja, também aparece entre os principais fornecedores para a China.

Os preços da soja subiram para máximas históricas após o cinturão norte-americano produtor de grãos sofrer com a pior seca em mais de cinco décadas, a qual limitou a produtividade da safra. Chuvas em agosto, porém, ajudaram a recuperar parte da safra de soja.

Estimativas expandidas de oferta pesaram sobre o mercado da soja desde que o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA), em seu relatório da semana passada, fez um aumento surpreendente na projeção da colheita de soja dos EUA e elevou sua previsão para os estoques globais.   Continuação...