Café em NY tem maior queda em 4 meses; açúcar também recua

terça-feira, 20 de novembro de 2012 20:30 BRST
 

Por Josephine Mason e Nigel Hunt

NOVA YORK/LONDRES, 20 Nov (Reuters) - Os futuros do café arábica tiveram sua maior queda em quatro meses nesta terça-feira, com investidores liquidando posições no contrato à vista antes do vencimento e especuladores continuando a vender em meio a expectativas de excesso de oferta.

A melhora na perspectiva para a próxima safra do maior produtor do mundo, o Brasil, reforçou preocupações com a possibilidade de que, provavelmente, a oferta continue excessiva no mercado.

O contrato futuro do café arábica mais ativo, o de março, caiu 4,9 centavos, a 1,5245 dólar por libra-peso, anulando os leves ganhos do dia anterior. Foi a maior queda diária desde 24 de julho, trazendo o mercado de volta às mínimas em 2 meses e meio, de 1,4945 dólares, atingidas na semana passada.

Os futuros do café robusta com vencimento em janeiro na Liffe em Londres tiveram baixa de 28 dólares, ou 1,5 por cento, a 1.870 dólares por tonelada, com mínima de 1.861 dólares na sessão, menor valor de um segundo contrato desde 7 de fevereiro.

Os futuros do açúcar bruto em Nova York também recuaram, com o mercado enfrentando dificuldades para superar uma faixa de resistências.

O contrato março do açúcar na ICE em Nova York caíram 0,04 centavos, ou 0,2 por cento, a 19,90 centavos por libra-peso. O contrato teve máxima de 20,00 centavos na segunda feira, seu maior nível desde 23 de outubro.

Os futuros do açúcar refinado na Liffe com vencimento em março tiveram variação negativa de 2,40 dólares ou 0,46 por cento para 523,90 dólares por tonelada.