Moody's confirma rating "BAA2" e perspectiva positiva do Brasil

quarta-feira, 21 de novembro de 2012 19:30 BRST
 

Por Frederico Rosas

SÃO PAULO, 21 Nov (Reuters) - A agência de classificação de risco Moody's confirmou nesta quarta-feira o rating do Brasil em "Baa2" e manteve a perspectiva positiva para a nota, mas indicou que uma elevação virá apenas quando o Brasil tiver um crescimento econômico menos volátil e mais robusto.

A agência indicou que um "upgrade" depende também da confirmação de que o superávit primário é suficiente para reduzir a relação dívida/Produto Interno Bruto (PIB).

"Se faltarem as condições (citadas), isso serviria como um indicador de que a perspectiva deverá ser colocada em estável", disse a agência em comunicado.

Ao manter a perspectiva positiva do país, a indicação é de que uma elevação na classificação pode ocorrer dentro dos próximos 12 a 18 meses. O rating do Brasil está em "Baa2" desde junho do ano passado.

Em entrevista à Reuters por telefone, o analista sênior de crédito da agência Mauro Leos classificou a decisão como "pouco habitual".

"Se você olhar a maioria dos casos, a decisão é elevar (o rating) quando você mantém um país em perspectiva positiva por 18 meses, mas não houve consenso suficiente" para isso, completou. "Ainda assim, a manutenção da perspectiva positiva é a decisão mais reveladora, fala mais sobre a confiança", acrescentou.

Sobre o crescimento econômico, a agência de classificação de risco destacou, no comunicado, o baixo desempenho em 2011 e 2012 e a ausência de indicação de que a expansão estaria em linha com a expectativa de 4 por cento antecipada por analistas.

"Enquanto a evolução recente da economia é, em parte, um reflexo de elementos cíclicos, há também fatores fundamentais em jogo, incluindo o crescimento da produtividade fabril, um desenvolvimento que --se não corrigido-- pode afetar negativamente o potencial de crescimento e a competitividade do país nos próximos anos."   Continuação...

 
Foto do prédio em que é localizada a sede da Moody's, o 7 World Trade Center, em Nova York, nos EUA. A agência de classificação de risco confirmou o rating do Brasil em Baa2 e manteve a perspectiva positiva para a nota, ao mesmo tempo que indicou que uma elevação virá apenas quando o Brasil tiver um crescimento econômico menos volátil e mais robusto. 7/05/2012 REUTERS/Jessica Rinaldi