Seca afeta safra de cana do Nordeste do Brasil

sexta-feira, 23 de novembro de 2012 19:36 BRST
 

Por Reese Ewing

SÃO PAULO, 23 Nov (Reuters) - Uma das piores secas em três décadas deve reduzir a safra de cana do Nordeste brasileiro nesta temporada em até 30 por cento em alguma áreas, disseram líderes da indústria na região, que se encontra em meio à moagem.

As regiões Norte e Nordeste do Brasil representam somente cerca de 10 por cento do fornecimento nacional de cana, mas a safra é uma importante fonte de açúcar e etanol no âmbito doméstico, além de exportar na entressafra do centro-sul.

A região, que iniciou a colheita em setembro em Alagoas, tipicamente esmaga a cana para a produção de açúcar e etanol até março, quando o centro-sul inicia a colheita da nova safra. Mas nesta temporada as operações devem terminar mais cedo.

"Não há cana o suficiente, então nós esperamos acabar a moagem em fevereiro", disse Jorge Torres, diretor técnico da Associação da Indústria da Cana (Sindaçúcar) em Alagoas, principal Estado produtor de cana no Nordeste do país.

Torres afirmou que o Nordeste produziria somente 52 milhões de toneladas neste ano, uma queda de 10 a 15 por cento ante o recorde de 62 milhões de toneladas da última safra. O fornecimento do açúcar da região também deve cair seguindo a mesma porcentagem, ante mais de 4 milhões de toneladas da última safra, acrescentou.

Rudson Sarmento, coordenador técnico da Associação de fornecedores de Cana de Alagoas, disse que o Estado veria uma queda de 20 a 25 por cento na produção da cana devido à seca que atingiu as lavouras.

"Nós recebemos somente 30 por cento das chuvas normais neste ano", disse Sarmento.

A produção de cana no segundo maior Estado produtor, Pernambuco, que começa a colheita nas próximas semanas, deve ser ainda pior.   Continuação...