Milhares de italianos protestam contra austeridade de Monti

sábado, 24 de novembro de 2012 19:01 BRST
 

ROMA (Reuters) - Dezenas de milhares de estudantes e trabalhadores se reuniram em toda a Itália neste sábado para protestar contra as medidas de austeridade impostas pelo governo tecnocrata do primeiro-ministro Mario Monti.

Apontado há um ano, quando a Itália se aproximava de uma crise de dívida ao estilo grego, Monti aprovou aumentos dolorosos de impostos e cortes de gastos para tentar controlar as finanças públicas em uma época em que escolas e universidades dizem que precisam desesperadamente de apoio.

Precisamos lutar por nossos direitos. O governo não nos representa e essas medidas de austeridade e todos estes cortes que eles introduziram são totalmente antidemocráticos", disse o estudante Tommaso Bernardi, que protestava em um comício em Roma.

O grupo de extrema direita Casapound marchou na capital Roma na noite de sábado, gritando "Monti, vá embora!". Anti-fascistas realizaram uma contra-demonstração em outra parte da cidade.

"Este governo está fazendo a nação morrer de fome e está destruindo o sistema de bem-estar social", disse o presidente do Casapound, Gianluca Iannone. "Os mais fracos são os mais atingidos - os deficientes, os estudantes e as famílias com uma única renda".

A polícia organizou rotas e horas diferentes para as manifestações para reduzir o risco de violência, depois que confrontos surgiram entre polícia e manifestantes durante os protestos de 14 de novembro, quando a polícia foi criticada por brutalidade.

Milhares de estudantes e trabalhadores também se reuniram em cidades como Nápoles, Florença e Catânia.

Não foram divulgados confrontos, mas os protestos disseminados destacaram a escala de descontentamento no país atingido pela recessão antes das eleições parlamentares do próximo ano.