Perto de prazo do abismo fiscal, partidos ainda divergem

segunda-feira, 26 de novembro de 2012 19:44 BRST
 

Por Richard Cowan

WASHINGTON, 26 Nov (Reuters) - Republicanos do Congresso dos Estados Unidos pediram nesta segunda-feira que o presidente do país, Barack Obama, detalhe cortes de gastos de longo prazo para ajudar a resolver a crise fiscal norte-americana, enquanto continuam firmemente contra os aumentos de impostos de renda para os mais ricos, algo que os democratas buscam.

A Casa Branca tem sido igualmente firme em sua posição, ameaçando vetar qualquer projeto de lei que não inclua as elevações tributárias a que se opõem os republicanos.

Embora o Congresso tenha retornado do feriado de Ação de Graças em meio a crescentes negociações sobre planos de longo prazo de reforma tributária e refletindo a necessidade de se chegar a um acordo, os dois partidos ainda não deram sinais de terem encontrado um caminho em torno do obstáculo tributário de curto prazo necessário para evitar o "abismo fiscal" em 31 de dezembro, que desencadearia aumentos tributários e cortes de gastos automáticos no ano novo.

"Continuamos em um impasse", disse o líder republicano no Senado, Mitch McConnell, durante um discurso na Casa.

Obama falou com o presidente da Câmara dos Deputados, John Boehner, sobre as negociações orçamentárias no fim de semana, e com o líder da maioria no Senado, Harry Reid, disse uma autoridade da Casa Branca. O porta-voz de Obama, Jay Carney, disse que o presidente dialogará com eles novamente "em um momento apropriado".

Os cerca de 600 bilhões de dólares em aumentos de impostos e cortes de gastos que serão ativados no final do ano derrubariam a economia norte-americana para mais uma recessão, de acordo com departamento apartidário de orçamento do Congresso.

Um novo levantamento da CNN mostrou que o público está acompanhando atentamente o debate que se desenrola em Washington sobre como reduzir déficits orçamentários que têm excedido 1 trilhão de dólares por quatro anos consecutivos.

A pesquisa revelou que dois terços dos entrevistados temem que o país enfrente grandes problemas sem uma solução para o abismo fiscal, e 77 por cento dizem acreditar que sua própria situação financeira seria prejudicada. Republicanos receberiam uma fatia maior da culpa do que Obama, ainda de acordo com o levantamento.   Continuação...