Gol descarta reverter encerramento da Webjet

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 12:34 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - A Gol descartou nesta quarta-feira a possibilidade de reverter o encerramento das atividades da controlada Webjet, decisão que resultou na demissão de cerca de 850 empregados.

A empresa aérea justificou a decisão pelo fato de a frota da Webjet ser composta por aviões Boeing 737-300 de idade média elevada, com maior consumo de combustível, cujos preços mais altos têm prejudicado os resultados da Gol.

"Não há possibilidade de nós revertermos essa decisão de encerramento, uma vez que ela está ligada ao aspecto técnico de não trabalharmos mais com a operação dos aviões 737-300", disse a jornalistas o diretor-presidente da Gol, Paulo Kakinoff, após reunião com o ministro da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt.

"São aviões com 21 anos de uso --ante uma frota da Gol com média de seis anos de utilização-- e que consomem 30 por cento mais combustível", acrescentou.

A Gol concluiu a compra da Webjet em outubro de 2011, por 70 milhões de reais, além de ter assumido dívidas de cerca de 200 milhões de reais, e anunciou na semana passada o encerramento das atividades da empresa aérea .

Kakinoff disse que os aviões da Webjet eram "completamente inviáveis do ponto de vista econômico" e disse que a decisão permitirá à empresa "mitigar parte dos custos excessivos que estão fazendo com que os setor de aviação no Brasil tenha o seu pior ano em resultado operacional e financeiro". Ele afirmou que o governo exigiu que a Gol consiga garantir a eficiência de suas operações na temporada de festas de fim de ano.

A Gol teve prejuízo de janeiro a setembro de cerca de 1 bilhão de reais.

Com menos aviões na frota, pela devolução dos jatos da Webjet às empresas de leasing, a ocupação nas aeronaves da Gol deverá subir para 76 por cento, ante os 70 por cento atuais, disse Kakinoff.

Também nesta quarta-feira, Ministério Público Federal informou que enviou ofícios à Agencia Nacional da Aviação Civil (Anac) e à Gol pedindo informações sobre o fim da Webjet. Nos documentos enviados, o procurador da República Thiago Lacerda Nobre pede que a Anac analise a possibilidade de redistribuição dos slots da Webjet entre as demais empresas interessadas via licitação.

A aquisição da Webjet pela Gol foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em 10 de outubro último, condicionada ao cumprimento de um acordo para garantir um patamar de 85 por cento de eficiência na operação dos slots do aeroporto de Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

(Por Hugo Bachega)

 
Gol descarta possibilidade de reverter encerramento das atividades da Webjet. 11/07/2012 REUTERS/Nacho Doce