Com paralisações, Índia se torna importadora de minério de ferro

quarta-feira, 28 de novembro de 2012 20:29 BRST
 

Por Manolo Serapio Jr e Siddesh Mayenkar

PISSURLEM, Índia/CINGAPURA, 28 Nov (Reuters) - Os esforços da Índia para reprimir a mineração ilegal deverão garantir 15 bilhões de dólares às gigantes globais de minério de ferro, e pode haver ainda mais por vir, com o país passando de exportar para importador líquido.

As medidas tomadas pelas autoridades federais e estaduais do país com o objetivo de regularizar a produção e exportação de minério de ferro paralisaram a produção da commodity em dois importantes Estados produtores, reduzindo embarques e forçando as siderúrgicas a importar uma matéria-prima que o país tem em abundância.

A saída do país --que já foi terceiro maior exportador de minério de ferro do mundo-- do mercado foi perfeitamente acompanhada pelas mineradoras em outros países que buscam alternativas para seus crescentes estoques, com uma demanda mais lenta da China, maior consumidor.

As maiores produtoras mundiais, Vale, Rio Tinto e BHP Billiton levaram parte do mercado indiano na China, Japão, Coreia do Sul e agora estão até visando exportar para seu antigo concorrente.

Mineradoras menores como a australiana Fortescue Metals Group também se beneficiam, uma vez que fornecem o minério de menor qualidade que compete diretamente com a Índia no mercado chinês.

"Vai ser um bônus enorme para as grandes mineradoras", disse Graeme Train, analista de commodities da Macquarie em Xangai.

"Também deve haver um prêmio surgindo para o minério de baixa qualidade e a ausência da Índia deve elevar o interesse chinês para produtores como a Fortescue."

A campanha indiana para acabar com a mineração ilegal --que as autoridades afirmam que custou aos Estados de Goa e Karnataka cerca de 9 bilhões de dólares em receitas perdidas na última década-- cortou a produção de minério de ferro do país em mais de 20 por cento no ano até março, e as exportações em quase o dobro deste valor.   Continuação...