Alemanha aprova resgate à Grécia apesar de receios

sexta-feira, 30 de novembro de 2012 12:17 BRST
 

Por Gareth Jones e Stephen Brown

BERLIM, 30 Nov (Reuters) - Legisladores alemães aprovaram o mais recente resgate à Grécia nesta sexta-feira por uma ampla maioria, apesar da crescente inquietação sobre o custo aos contribuintes menos de um ano antes das eleições federais.

O resultado da votação na Câmara nunca esteve em dúvida, mas foi um teste à autoridade da chanceler Angela Merkel sobre sua coalizão de centro-direita. Ela não conseguiu uma maioria absoluta de seus próprios aliados após 23 de seus legisladores terem se rebelado.

Mas com os principais partidos de oposição, o Social Democratas (SPD) e os Verdes, votando a favor com a maioria do bloco de Merkel, essa revolta teve apenas valor simbólico. Dos 584 deputados presentes, 473 voltaram pelo resgate, 100 votaram contra e 11 se abstiveram.

O líder parlamentar dos Democratas Cristãos de Merkel, Michael Grosse-Broemer, disse ter ficado feliz com o resultado da votação, acrescentando: "A Grécia tem agora que continuar com seus esforços para reduzir suas dívidas e realizar reformas estruturais."

O pacote, que busca reduzir a dívida da Grécia para 124 por cento da produção nacional até 2020, coincide com discursos entre legisladores alemães e a imprensa de que os governos da zona do euro irão eventualmente assumir perdas em dívida grega que detêm.

O ministro das Finanças, Wolfgang Schaeuble, afirmou no debate na Bundestag, o Parlamento alemão, que tal especulação pode prejudicar a postura de reforma do governo grego.

"Se dissermos que serão assumidas perdas em dívidas, a disposição (da Grécia) para poupar será correspondentemente enfraquecida. Tais especulações fracas não resolvem os problemas", disse ele. "Uma falência grega pode levar à ruptura da zona do euro."

 
Votação de acordo de resgate à Grécia foi considerado um importante teste de autoridade da chanceler alemã Angela Merkel. 30/11/2012 REUTERS/Thomas Peter