PMI da China favorece ações asiáticas, mas temores sobre EUA limitam ganhos

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 07:57 BRST
 

TÓQUIO, 3 Dez (Reuters) - As ações asiáticas avançaram nesta segunda-feira, ao passo que mais sinais de estabilização da economia chinesa impulsionaram o apetite por risco do investidor, mas os ganhos foram limitados por preocupações de que um impasse nas negociações sobre o orçamento dos Estados Unidos pode colocar a maior economia do mundo em recessão.

O ritmo de atividade no amplo setor industrial da China acelerou pela primeira vez em 13 meses em novembro, com a leitura final para o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do HSBC subindo para 50,5 em novembro, em mais uma evidência de que a economia está se reanimando após sete trimestre de desaceleração do crescimento.

"Há uma confiança crescente de que a economia da China chegou ao menor nível entre julho e setembro, com sinais de demanda externa mais firme", afirmou o estrategista sênior do Daiwa Securities Hirokazu Yuihama.

"O sentimento está favorável porque a recuperação gradual nas economias asiáticas vêm diante de um ambiente de baixas taxas de juros, que não será mudado em breve, portanto a recuperação do apetite por risco deve se estender para o ano que vem", disse ele.

As fracas vendas no varejo na Austrália, demanda de emprego e inflação controlada levantaram expectativas de que o banco central do país pode cortar as taxas de juros em sua reunião na terça-feira, sustentando o mercado local, que registrou alta de 0,57 por cento.

O índice Nikkei do Japão teve ligeira alta de 0,13 por cento, depois de atingir uma nova máxima em sete meses mais cedo.

Às 7h52 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão tinha ligeira queda de 0,13 por cento, depois de chegar a subir 0,4 por cento mais cedo, atingindo o maior nível em nove meses.

As ações de Hong Kong cederam 1,19 por cento, depois de registrarem máximas intradias no ano mais cedo. As ações de Xangai caíram 1,03 por cento, aproximando-se do menor nível em quase quatro anos atingido na semana passada.

O índice de Seul encerrou em alta de 0,37 por cento e a bolsa de Taiwan avançou 0,26 por cento, enquanto Cingapura retrocedeu 0,14 por cento.

(Reportagem de Chikako Mogi; reportagem adicional de Hideyuki Sano em Tóquio e Rujun Shen em Cingapura)