Ações asiáticas recuam de máxima em 9 meses com dados fracos dos EUA

terça-feira, 4 de dezembro de 2012 07:57 BRST
 

CINGAPURA, 4 Dez (Reuters) - As ações asiáticas caíram nesta terça-feira, depois que uma queda na atividade manufatureira dos Estados Unidos atingiu as ações de Wall Street e o dólar.

As quedas nos mercados acionários asiáticos sugeriram que a cautela está se estabelecendo depois dos ganhos das últimas semanas, com investidores relutantes para buscar ações em meio ao travamento no Congresso norte-americano sobre as propostas para evitar o chamado abismo fiscal --600 bilhões de dólares em aumentos de impostos e cortes de gastos que começarão automaticamente no início de 2013.

Às 7h44 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne mercados da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão caía 0,12 por cento, afastando-se da máxima de nove meses atingida na segunda-feira.

As ações australianas perderam 0,62 por cento, enquanto o índice Nikkei do Japão cedeu 0,27 por cento.

As ações globais subiram na segunda-feira depois que pesquisas industriais mostraram sinais de recuperação, apesar de irregular, na economia da China e uma contração mais lenta na Europa. Mas o sentimento em torno das ações piorou depois que dados mostraram que o setor manufatureiro dos Estados Unidos contraiu inesperadamente em novembro, para o menor nível em mais de três anos.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês), informou na segunda-feira que o índice de atividade industrial nacional caiu para 49,5 em novembro, o nível mais fraco desde julho de 2009, ao passo que as empresas preocupam-se sobre se os legisladores em Washington poderão chegar a um acordo orçamentário para evitar uma crise fiscal que pode levar o país a uma recessão.

O índice de Seul encerrou em baixa de 0,25 por cento, o mercado teve ligeira alta de 0,15 por cento em Hong Kong e a bolsa de Taiwan ficou praticamente estável, com ganho de 0,01 por cento. O índice referencial de Xangai avançou 0,78 por cento, enquanto Cingapura retrocedeu 0,12 por cento.

(Reportagem de Masayuki Kitano; reportagem adicional de Ayai Tomisawa em Tóquio e Vidya Ranganathan, Ramya Venugopal e Alex Richardson em Cingapura)