Prêmios do café na Indonésia estão em máximas de 7 meses

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012 15:55 BRST
 

Por Lewa Pardomuan

CINGAPURA, 6 Dez (Reuters) - Os prêmios para os grãos do café robusta da Indonésia estão nesta semana em seu momento mais forte desde maio, mas os altos preços assustaram os compradores, e alguns carregamentos de grãos do Vietnã foram negociados com descontos na bolsa de futuros de Londres (Liffe), disseram operadores nesta quinta-feira.

O café tipo sumatra classe 4 foi cotado com prêmios de 100 e 150 dólares ante o contrato março de Londres, uma queda em relação aos 170 dólares na semana passada, mas os valores ainda estão em seu nível mais alto desde maio.

"Parece que a demanda por café da Indonésia está bastante baixo no momento. As pessoas querem saber sobre o progresso da safra no Vietnã, o que faz com que eles fiquem fora do mercado", disse um operador em Bandar Lampung, província capital de Lampung em Sumatra.

"Eu acho que os torrefadores locais ainda não começaram a se voltar para o Vietnã. Eles ainda compram grãos domésticos apesar dos preços altos. Eles também esperam receber grãos frescos da safra menor no final de janeiro ou início de fevereiro."

A colheita terminou em outubro na Indonésia, segundo maior produtor mundial de café robusta após o Vietnã, e os operadores estão esperando a safra menor, que deve começar em dezembro ou janeiro. A principal colheita ainda está a alguns meses de distância, em abril ou maio.

A produção de café na Indonésia podem subir quase 13 por cento no ano até setembro de 2013, impulsionada por uma melhora climática, enquanto um aumento da demanda de torrefadores locais deve impulsionar o consumo e elevar as importações, mostrou uma pesquisa da Reuters.

Os grãos café vietnamita classe 2, 5 por cento preto e quebrado ficaram a descontos de até 70 dólares ante o contrato março de Londres, praticamente inalterado ante a semana anterior.

O Vietnã, segundo maior produtor mundial de café após o Brasil, já colheu mais da metade de sua safra 2012/13, após um recorde de cerca de 1,6 milhões de toneladas na recém-terminada temporada 2011/12.

A nova safra pode diminuir 9 por cento ante o ano passado para 24,2 milhões de sacas (1,452 milhão de toneladas), devido ao clima adverso, disse o adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos no Vietnã.

"Há alguns compradores a 50 dólares de desconto. Mas eu ainda acho que é um mercado bastante apertado. Os clientes querem comprar grãos mais baratos", disse um operador em Cingapura que negocia tanto grãos do Vietnã quanto da Indonésia.