Vale está perdendo dinheiro com restrições da China a navios

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012 16:30 BRST
 

RIO DE JANEIRO/LONDRES, 6 Dez (Reuters) - A Vale está perdendo 2 ou 3 dólares por tonelada de minério de ferro com as restrições da China aos navios gigantes de transporte da commodity, os chamados Valemax, disse nesta quinta-feira um executivo da empresa.

A maior produtora de minério do mundo espera autorização do governo chinês para entrada de seus mega navios nos portos chineses em 2013, disse o executivo em evento em Londres. A China é o maior comprador de minério do mundo, e principal cliente da mineradora brasileira.

"A situação não é ideal", disse o diretor de Ferrosos e Estratégia da Vale, José Carlos Martins. "Agora temos de transferir o minério para navios menores no mar", afirmou Martins, durante coletiva de imprensa.

A Vale decidiu encomendar os maiores mineraleiros do mundo para reduzir custos de transporte do minério de ferro considerando que a maior parte de suas exportações tem a Ásia como destino --e a distância é uma desvantagem em relação a suas maiores concorrentes, BHP e Rio Tinto, que produzem na Austrália.

A China, porém, anunciou, no começo deste ano, que não permitiria a entrada dos navios. O governo chinês alegou motivos de segurança e necessidade de adequação dos portos aos novos navios, em meio à pressão da indústria naval, temerosa da concorrência da Vale, para vetar as embarcações.

A Vale espera a aprovação para entrada de seus mega navios na China em 2013, disse ele, em coletiva de imprensa em Londres.

Como alternativa ao veto da China à entrada de seus Valemax, a companhia está avançando na construção de infraestrutura capaz de receber os Valemax em países próximos ao seu maior comprador de minério --um plano B aos portos chineses.

(Reportagem de Sabrina Lorenzi e Clara Ferreira Marques, com reportagem adicional de Jeb Blount)