China deve manter meta de crescimento de 7,5% em 2013--fontes

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 07:44 BRST
 

Por Kevin Yao

7 Dez (Reuters) - Líderes da China devem manter para 2013 a meta de crescimento econômico deste ano de 7,5 por cento, permitindo níveis mais altos de investimento de ativos fixos para compensar a demanda fraca por exportações, disseram fontes envolvidas nas discussões internas sobre os planos para o próximo ano.

Os líderes devem se reunir em meados de dezembro para a Conferência Central de Trabalho Econômico, que investidores observam de perto em busca de pistas sobre prioridades políticas para o próximo ano.

Adotar um curso estável para a economia pode decepcionar algumas pessoas nos mercados financeiros devido às expectativas de que o novo líder da China, Xi Jinping, e outras autoridades apresentariam um estímulo agressivo no ano que vem para reanimar uma economia que deve crescer em 2012 no ritmo mais fraco desde 1999.

A taxa de crescimento anual da China desacelerou por sete trimestres seguidos no terceiro trimestre, mas economistas preveem o início de uma retomada entre outubro e dezembro e que a expansão no ano supere a meta do governo. Entretanto, com a zona do euro em recessão e a demanda dos Estados Unidos fraca, a economia enfrenta consideráveis obstáculos em 2013.

"A meta de crescimento econômico de 7,5 por cento é possível, mas não pode ser alcançada sem qualquer dificuldade", disse uma fonte de um instituto de pesquisa.

Pequim havia mantido a meta de crescimento econômico de 8 por cento por oito anos até reduzi-la em 2012 para 7,5 por cento.

Autoridades acreditam que manter a meta de 7,5 por cento em 2013 ajudará a equilibrar a necessidade de manter o crescimento em movimento com a necessidade de espaço de manobra econômica para aprofundar as reformas, disseram economistas do governo envolvidos nas discussões sobre os planos.