IPCA sobe mais do que o esperado e fica em 0,60% em novembro

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 12:17 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 7 Dez (Reuters) - Puxado pelo aumento mais significativo de preços nos grupos não-alimentícios, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) surpreendeu ao subir 0,60 por cento em novembro, acima do esperado e atingindo a maior variação em sete meses.

O resultado acabou reforçando a expectativa de que a Selic deve permanecer por mais tempo na atual mínima histórica de 7,25 por cento ao ano, e não voltar a cair no próximo ano como preveem alguns agentes econômicos.

Segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, o IPCA do mês passado mostrou uma leve aceleração sobre outubro, após alta de 0,59 por cento em outubro.

O resultado surpreendeu muitos analistas, que esperavam desaceleração da alta para 0,50 por cento em novembro segundo a mediana das estimativas de 35 bancos e consultorias consultados pela Reuters.

Com isso, no acumulado de 12 meses até novembro, o IPCA avançou 5,53 por cento no mês passado, mostrando alta ante os 5,45 por cento de outubro. Neste caso, é o maior avanço desde fevereiro último, quando atingiu 5,85 por cento, e também ficou acima da expectativa do mercado, de alta acumulada de 5,44 por cento em novembro.

TRANSPORTES

O resultado do IPCA do mês passado veio, segundo o IBGE, dos grupos não-alimentícios, com destaque para Transportes, cujos preços subiram 0,68 por cento, ante 0,24 por cento de outubro. A principal influência veio de passagens aéreas, que custaram em média 11,80 por cento a mais em novembro, depois de terem registrado alta 1,62 por cento em outubro.

Também pesaram no indicador os preços da gasolina, cuja alta passou de 0,75 a 1,18 por cento no período, e do etanol, com ajustes crescendo de 0,04 a 0,63 por cento.   Continuação...

 
Passageiros pegam metro na hora do rush, em São Paulo. Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,60 por cento em novembro, com destaque para transportes, cujos preços subiram 0,68 por cento, segundo o IBGE. 10/02/2012 REUTERS/Nacho Doce