Chefe do FMI adverte EUA sobre efeitos mundiais do "abismo fiscal"

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012 21:18 BRST
 

WASHINGTON, 7 Dez (Reuters) - A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, pediu nesta sexta-feira aos parlamentares norte-americanos que considerem as consequências mundiais caso não consigam evitar o chamado "abismo fiscal", uma combinação de aumento de impostos e corte de gastos automáticos.

"Se os Estados Unidos sofrem como resultado do abismo fiscal --um completo desaparecimento do crescimento--, haverá repercussões no resto do mundo", disse a chefe do FMI em entrevista à emissora BBC.

"Se os Estados Unidos crescerem 2 pontos percentuais a menos, o México e o Canadá crescerão provavelmente 1 ponto percentual a menos", acrescentou.

O governo Obama e líderes do Congresso estão tentando negociar um acordo para evitar o chamado abismo fiscal de 600 bilhões de dólares em aumentos de impostos e cortes de gastos federais, que começará a entrar em vigor no início de 2013.

(Reportagem de Lesley Wroughton)