Preços de importados dos EUA têm maior queda em 5 meses

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 14:00 BRST
 

WASHINGTON, 12 Dez (Reuters) - Os preços de importados nos Estados Unidos registraram a maior queda em cinco meses em novembro, com redução dos preços de alimentos e combustíveis, mantendo as pressões inflacionárias controladas em um cenário de atividade econômica fraca.

Os preços de importados caíram 0,9 por cento, informou o Departamento de Trabalho nesta quarta-feira. O número de outubro foi revisado para alta de 0,3 por cento, ante alta de 0,5 por cento reportada anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que os preços caíssem 0,5 por cento no último mês. Em 12 meses até novembro, os preços de importados recuaram 1,6 por cento.

Excluindo preços de combustíveis e de alimentos, os preços de importados caíram 0,1 por cento, com os custos de bens de capital registrando a maior queda desde março de 2010 e preços de automóveis estáveis, indicando que as pressões inflacionárias em geral continuam benignas.

O controle do ambiente inflacionário deve permitir ao Federal Reserve, banco central dos EUA, continuar com um forte afrouxamento da política monetária, enquanto ele tenta fazer a economia norte-americana a se recuperar.

Autoridades do Fed decidem sobre a política monetária nesta quarta-feira e espera-se reafirmação da orientação acomodativa do Fed no final da reunião de dois dias.

No último mês, preços de petróleo importado caíram 3,6 por cento depois de recuarem 0,2 por cento em outubro. O preço de gás natural importado aumentou 18,2 por cento, o maior aumento em três anos. Preços de alimentos importados ficaram 1,3 por cento menores, o maior declínio desde fevereiro de 2012, após subirem 0,2 por no mês anterior.

Em outros lugares, os preços dos bens de capital importados diminuíram 0,3 por cento depois de ficarem estáveis em outubro.

(Reportagem de Lucia Mutikani)