Com apoio da Alemanha, UE aproxima-se de união bancária

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012 15:20 BRST
 

Por John O'Donnell e Leigh Thomas

BRUXELAS, 12 Dez (Reuters) - A Alemanha sinalizou nesta quarta-feira estar pronta para apoiar planos que concedem ao Banco Central Europeu (BCE) poderes para supervisionar instituições financeiras do bloco econômico, num sinal positivo para a perspectiva de avanço na reforma financeira mais ambiciosa da União Europeia.

Na semana passada, França e Alemanha trocaram farpas públicas sobre o plano. Mas com pouco tempo para a UE cumprir a promessa de concluir a estrutura do supervisor bancário comum até o fim do ano, ambos os países redobraram esforços para resolver suas diferenças.

"Acreditamos que há uma boa chance de chegarmos a um acordo hoje", disse o ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble, a jornalistas antes de uma reunião com seus colegas da UE sobre o plano. "Minha intenção é encontrar uma solução para a união bancária antes do Natal".

O ministro francês das Finanças, Pierre Moscovici, disse a colegas na reunião que "todos os parâmetros" para um acordo estão no lugar.

Após três anos de medidas tímidas de combate à crise, os governos estão inclinados a criar a "união bancária" que evitaria que bancos problemáticos derrubem nações soberanas, como ocorreu na Irlanda e na Espanha.

Mas mesmo que o bloco econômico firme o acordo de supervisão bancária, ainda restarão outras questões difíceis, como uma resolução de uma autoridade de fechar bancos falidos e um programa para proteger depósitos.

Entre as questões remanescentes que ministros buscam resolver nesta quarta-feira estão quantos bancos o BCE deve supervisionar diretamente e se o banco central terá um prazo de mais de um ano, como planejado, para assumir esse papel.

Um documento, obtido pela Reuters, conquistou amplo apoio na reunião do BCE e países incluindo Espanha e França.   Continuação...