Dólar sobe 0,4% com saídas pontuais e piora externa

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012 18:06 BRST
 

Por Danielle Fonseca e Natália Cacioli

SÃO PAULO, 13 Dez (Reuters) - O dólar fechou em alta ante o real nesta quinta-feira, com saídas pontuais de dólares poucas horas antes do final da sessão e piora do cenário externo com preocupações crescentes sobre o abismo fiscal nos Estados Unidos puxando a cotação.

A moeda norte-americana subiu 0,40 por cento, encerrando a 2,0838 reais na venda e perto da máxima do pregão, de 2,0850 reais, depois de passar boa parte da sessão perto da estabilidade. Segundo dados da BM&F, o volume negociado estava em torno de 2,600 bilhões de dólares.

Operadores lembram que no final do ano é comum que ocorra maior fluxo de saída de dólares do país, com envio de remessas e dividendos de filiais brasileiras para as suas matrizes no exterior. Dados do Banco Central já mostraram que o fluxo cambial --entrada e saída de moeda estrangeira no país-- iniciou o mês de dezembro negativo, com déficit de 1,350 bilhão de dólares até o dia 7.

Além disso, os investidores estão evitando fazer posições arriscadas nos últimos dias do ano após série de declarações e intervenções de autoridades brasileiras que agitaram o mercado de câmbio.

"Acredito que há fluxos que estão levando a essa alta do dólar", disse o gerente de câmbio da Fair Corretora, Mario Battistel.

Além da saída de dólares, investidores estão ficando mais apreensivos com a questão fiscal norte-americana, já que os políticos do país têm até o final do ano para evitar os aumentos de impostos e o cortes de gastos automáticos do chamado abismo fiscal, que poderia levar os EUA para a recessão.

"Está sendo muito difícil alcançar um acordo entre republicanos e a Casa Branca sobre o abismo fiscal, as incertezas aumentam a aversão ao risco", disse o consultor de pesquisas econômicas do Banco Tokyo-Mitsubish, Mauricio Nakahodo.

O presidente da Câmara dos Deputados, o republicano John Boehner, acusou o presidente Barack Obama de "levar lentamente" a economia para o abismo fiscal nesta quinta-feira. Enquanto isso, a Casa Branca diz não ter visto qualquer movimento de republicanos em questões importantes sobre o assunto.   Continuação...