Secretário do USDA se diz pessimista com lei agrícola

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012 15:56 BRST
 

WASHINGTON, 19 Dez (Reuters) - O secretário do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), Tom Vilsack, disse que há um "risco muito sério" de o Congresso, profundamente dividido, não conseguir completar os trabalhos sobre a nova Lei Agrícola de cinco anos até o final deste ano.

"Há um risco muito sério de que nós não tenhamos a lei agrícola feita neste ano", disse Vilsack em discurso na Câmara do Comércio dos EUA.

Senadores democratas e republicanos permanecem em um impasse sobre como conseguir mais economias nos programas agrícolas, com o debate centrado no nível de subsídios agrícolas e no programa de distribuição de alimentos para a população mais necessitada.

"Nós vamos estimular o Congresso a concluir isso", disse Vilsack a repórteres depois de discursar em um evento.

Vilsack disse que a "relutância do relator" tornou-se um obstáculo, referindo-se às preocupações que o relator da Câmara dos Deputados John Boehner vem expressando de assumir a nova lei ao mesmo tempo em que lida com o chamado abismo fiscal, uma mistura de aumento de impostos e cortes de custos que pode ter início em 1o de janeiro.

"Nós precisamos dizer ao relator que não é uma lei de mil páginas. É uma lei que pode ser facilmente ligada, e ajudar na economia, em qualquer resolução de 'abismo fiscal'", disse Vilsack.

"Nós poderemos encorajar o relator a repensar a noção do que não pode ser feito. Nós podemos fazer", acrescentou.

RETALIAÇÃO COMERCIAL

Durante seu discurso, Vilsack também disse que está "profundamente preocupado" de que o Brasil possa retaliar os EUA, caso o país não implemente as mudanças previstas em seu programa de subsídios para o algodão.   Continuação...