Exportações e gastos do governo impulsionam PIB dos EUA no 3o tri

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012 16:53 BRST
 

WASHINGTON, 20 Dez (Reuters) - A economia dos Estados Unidos registrou, no terceiro trimestre, crescimento em ritmo mais rápido do que o esperado, com exportações e gastos do governo em alta, mas com o impulso que provavelmente pode ser perdido com a desaceleração da demanda global e uma política fiscal mais rígida.

O Produto Interno Bruto (PIB) se expandiu a uma taxa anualizada de 3,1 por cento, informou nesta quinta-feira o Departamento do Comércio em sua terceira estimativa, maior do que os 2,7 por cento registrados no mês passado.

Esse foi o crescimento mais acelerado desde o fim de 2011, refletindo também um ritmo um pouco mais rápido nos gastos dos consumidores do que o previamente estimado.

Economistas ouvidos em pesquisa da Reuters previam que a expansão do PIB seria de 2,8 por cento. As exportações cresceram a uma taxa de 1,9 por cento, ante a de 1,1 por cento reportada previamente.

Com as importações em queda pela primeira vez desde o segundo trimestre de 2009, o déficit comercial diminuiu. O comércio contribuiu com 0,38 ponto percentual ao PIB. A perda nas importações é um sinal de demanda interna fraca.

Os gastos do governo foram revisados para uma taxa de crescimento de 3,9 por cento, ante os 3,5 por cento relatados anteriormente, impulsionados por uma recuperação nos gastos de administrações estaduais e municipais. O item acrescentou 0,75 ponto percentual ao PIB do terceiro trimestre.

O impulso oferecido pelas exportações, no entanto, deve ter vida curta, ante o cenário de esfriamento da economia em escala global. Os gastos do governo provavelmente terão queda nos próximos trimestres, tendo como pano de fundo uma maior rigidez para conter déficits orçamentários.

Cerca de 600 bilhões de dólares podem ser retirados da economia em aumentos de impostos e cortes automáticos de gastos do governo a partir de 2013, e levá-la à recessão a menos que um acordo seja atingido entre líderes políticos para um projeto menos pior.

Enquanto isso, o aumento nos gastos dos consumidores, que respondeu por cerca de 70 por cento da atividade econômica dos EUA, subiu 0,2 ponto percentual, para uma taxa de 1,6 por cento, em maior parte refletindo elevação nos custos com saúde.   Continuação...

 
Vista de várias notas de dólar norte-americano. A economia dos Estados Unidos registrou, no terceiro trimestre, crescimento em ritmo mais rápido do que o esperado, com exportações e gastos do governo em alta, mas com o impulso que provavelmente pode ser perdido com a desaceleração da demanda global e uma política fiscal mais rígida. 17/12/2009 REUTERS/Sam Mircovich