Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA recuam

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 11:58 BRST
 

WASHINGTON, 27 Dez (Reuters) - O número de norte-americanos entrando com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu na semana passada para perto do nível mais baixo em quatro anos e meio, um sinal de que o mercado de trabalho está se recuperando.

Houve uma queda de 12 mil nos pedidos iniciais de auxílio-desemprego, para 350 mil, segundo dados ajustados sazonalmente, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. O dado da semana anterior foi revisado para mostrar mil pedidos a mais do que o reportado anteriormente.

Depois de subirem na esteira da supertempestade Sandy, que afetou a Costa Leste no final de outubro, os níveis semanais de novos pedidos caíram para o menor nível desde os primeiros dias da recessão de 2007/09. A média móvel de quatro semanas caiu em 11.250 na semana passada, para 356.750, o menor nível desde março de 2008.

Isso sugere que a alta nas dispensas desde a recessão pode ter acabado, embora as empresas ainda estejam ampliando suas folhas de pagamento a um ritmo fraco.

O relatório incluiu uma advertência, pelo menos para a última semana. O presidente Barack Obama declarou segunda-feira feriado para trabalhadores federais e muitos escritórios estatais não puderam fornecer dados completos sobre os pedidos de auxílio-desemprego na semana passada.

Os dados para 19 Estados foram estimados, segundo uma autoridade do Departamento do Trabalho. Desses, 14 entregaram suas próprias estimativas, o que tende a ser bastante correto porque as autoridades estatais trabalham com um volume significativo de dados, disse a autoridade do Departamento do Trabalho.

Além do feriado federal, não houve fatores especiais que influenciassem os dados de auxílio-desemprego, segundo a autoridade.

(Reportagem de Jason Lange)