Taxação na China pode afetar exportação de gasolina--mercado

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012 14:30 BRST
 

Por Chen Aizhu

PEQUIM, 27 Dez (Reuters) - O plano da China para cobrar imposto sobre componentes para mistura na gasolina pode criar um déficit de suprimento de combustíveis no país, forçando refinarias estatais a aumentar a quantidade de petróleo processado e a reduzir as exportações, disseram traders.

A autoridade da China para a cobrança de impostos disse em novembro que produtos que ainda não possuem padrões nacionais estarão sujeitos a uma taxa sobre o consumo de até 1 iuan (0,16 dólares) por litro a partir de janeiro.

O governo não especificou quais produtos serão taxados, mas os traders baseados na China interpretaram que a nova cobrança incidirá sobre aromáticos mistos --amplamente usados para mistura de gasolina bem como o querosene para mistura de diesel e o aditivo MTBE. Tanto vendas domésticas como importações serão afetadas.

A medida já causou pânico em alguns participantes do mercado, disseram operadores, com várias cargas originadas de refinarias europeias para janeiro previstas na China Oriental e do Sul da China sendo canceladas.

"Tem causado arrepios na espinha de quem está no mercado de mistura, que já está lutando com margens muito pequenas", disse um trader da estatal Sinochem Corp.

Traders disseram que aromáticos mistos seriam os produtos mais atingidos, com as importações tendo aumentado desde 2009 para o pico de 3,6 milhões de toneladas em 2011 e cerca de 3 milhões de toneladas neste ano.