Obama diz estar "modestamente otimista" com acordo sobre abismo fiscal

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012 22:23 BRST
 

WASHINGTON, 28 Dez (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou esperança nesta sexta-feira de um acordo de última hora para evitar o abismo fiscal no país, uma combinação de aumentos de impostos e cortes de gastos que entra em vigor no início do próximo ano.

Obama, que se reuniu nesta sexta-feira com líderes congressistas para discutir o impasse, criticou o Congresso por deixar o problema sem solução até perto do prazo final.

"A hora para uma ação imediata está aqui", disse a repórteres na Casa Branca. "Estou modestamente otimista de que um acordo possa ser alcançado."

Obama e os congressistas trabalham para evitar o "abismo fiscal" de 600 bilhões de dólares, um choque que economistas dizem que pode interromper a recuperação econômica e talvez repercutir além das fronteiras norte-americanas.

O presidente, que foi reeleito com uma plataforma que incluiu a promessa de aumentar os impostos aos mais ricos, disse que os líderes do Senado trabalhavam neste momento para costurar uma medida bipartidária que possa ser aprovada em ambas as casas do Congresso.

Mas se esses esforços de última hora fracassarem, os parlamentares devem votar uma medida "mínima" que estenderia as alíquotas atuais dos impostos para todos os norte-americanos, com exceção dos mais ricos, e prorrogaria o seguro-desemprego, disse ele.

Obama criticou o Congresso por emperrar as negociações de uma maneira que lembra o impasse de 2011, que levou o país perto de declarar um calote da dívida e que afetou a recuperação econômica.

"Isso é um déjà vu tudo de novo", disse.

"A América se pergunta por que é que nesta cidade, por algum motivo, você não pode ter as coisas feitas num calendário organizado", acrescentou. "Bem, agora estamos no último minuto."   Continuação...