BC alemão alerta contra complacência na crise da dívida europeia

sábado, 29 de dezembro de 2012 13:50 BRST
 

BERLIM, 29 dez (Reuters) - O presidente do Bundesbank, banco central alemão, Jens Weidmann, alertou contra a complacência na luta para superar a crise da dívida soberana da zona do euro e negou que tenha considerado renunciar devido a diferentes pontos de vista com o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, informou um jornal.

Weidmann disse ao Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung, em entrevista que será publicada no domingo, que as causas da crise da dívida soberana ainda não foram resolvidos. Afirmou também considerar perigoso que líderes políticos fossem complacentes.

"As causas ainda não foram removidas", disse Weidmann ao jornal, em comentários disponíveis neste sábado.

Pode ser perigoso se a crise começar a se espalhar, disse, e "se os líderes políticos decidirem que não querem fazer mais contra a crise mais e esperar que o banco central salve o dia".

Weidmann disse não acreditar que os comentários de Draghi que o BCE estava pronto para "fazer o que for preciso para preservar o euro" tenha marcado uma reviravolta na crise da zona do euro. Ele acrescentou nada mudou em relação a sua discordância com Draghi.

"Eu temo pelos riscos para a estabilidade política e pelos perigos da mistura de política monetária e fiscal", disse Weidmann. "A zona do euro não pode ser autorizada a fica dependente de financiamento monetário estatal."

Weidmann disse que o período de baixas taxas de inflação pode acabar rapidamente.

"Isso pode mudar se a economia se recuperar novamente e as taxas de juros tiverem que ser elevadas", disse, acrescentando que por isso considerou "extremamente perigoso" que alguns "falem sobre a chance de permitir um pouco mais de inflação".

Weidmann também negou que tenha considerado renunciar devido a discordâncias com Draghi, como fez seu antecessor Axel Weber.

"O que fazer se todos os presidentes do BC renunciarem?", disse Weidmann.

(Reportagem de Erik Kirschbaum)

 
Presidente do BC alemão, Jens Weidmann, participa do evento Frankfurt Euro Finance Week em Frankfurt, Alemanha. Weidmann alertou contra a complacência na luta para superar a crise da dívida soberana da zona do euro e negou que tenha considerado renunciar devido a diferentes pontos de vista com o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi. 19/12/2012 REUTERS/Lisi Niesner