Investidores do Bankia procuram os tribunais na Espanha

domingo, 30 de dezembro de 2012 15:39 BRST
 

MADRI, 30 Dez (Reuters) - Poupadores e pensionistas espanhóis que viram seu dinheiro desaparecer por investir no Bankia, resgatado pelo governo, devem procurar seus direitos nos tribunais, ao invés de esperar por uma investigação oficial, o que parece cada vez mais improvável.

Cerca de 350 mil acionistas vão dividir o prejuízo do resgate do banco europeu, muitos deles clientes do banco que compraram ações através de uma agressiva campanha de marketing para a sua entrada na bolsa em 2011.

Ações do banco, resgatado em maio durante a maior ação bancária do tipo da Espanha, caíram, atingindo seu nível mais baixo na sexta-feira, desvalorizando mais de 40 por cento desde o começo da semana, depois que ele divulgou que perdas com os empréstimos ruins foram piores do que o esperado.

"Ir aos tribunais e ver se um juiz pode fazer justiça para nós é o único caminho que nos resta", disse Maricarmen Olivares, cujos pais perderam 600 mil euros (793,300 dólares) que eles arrecadaram com a vendada oficina mecânica do seu pai e investindo em ações preferenciais do Bankia.

Nenhum dos dois principais partidos políticos quer forçar uma investigação completa sobre o fim do Bankia, que poderia atrair a atenção para seu próprio papel, em um desastre que levou a Espanha à beira de um resgate internacional, dizem os comentaristas.

"As investigações funcionam quando um partido político tem algo a ganhar em detrimento de outro. Neste caso, ninguém tem nada a ganhar", disse Juan Carlos Rodriguez, da firma de consultoria Analistas Socio Políticos.

"Não vejo os grandes partidos investigando isso, porque se foram cometidos erros, eles foram cometidos pelos dois lados".

O Partido Socialista estava no poder quando o Bankia foi formado em 2010, a partir de uma combinação incompatível de sete bancos de poupança regionais, uma união que concentrou uma insustentável exposição para o falido setor imobiliário.

(Reportagem de Sonya Dowsett)

 
Mulher fotografa sede do banco espanhol Bankia em Madri, Espanha. Poupadores e pensionistas espanhóis que viram seu dinheiro desaparecer por investir no Bankia, resgatado pelo governo, devem procurar seus direitos nos tribunais, ao invés de esperar por uma investigação oficial, o que parece cada vez mais improvável. 27/12/2012 REUTERS/Susana Vera