Acordo para evitar "abismo fiscal" nos EUA permanece incerto

domingo, 30 de dezembro de 2012 18:13 BRST
 

Por Jeff Mason e Thomas Ferraro

WASHINGTON, 30 Dez (Reuters) - O acordo para evitar o "abismo fiscal" nos Estados Unidos permanecia incerto neste domingo. Legisladores ainda negociam como impedir o aumento automático de impostos no primeiro dia de 2013.

Assessores do líder da maioria no Senado, o democrata Harry Reid, e do líder republicano na Casa, o senador Mitch McConnell, trabalham para chegar a um acordo. Um eventual entendimento precisaria ser votado nas duas casas do Congresso antes da meia-noite de segunda-feira.

Reid disse que os dois partidos ainda mantinham diferenças nas negociações. O senador afirmou ainda que não apresentou uma contraproposta para a última sugestão republicana. "Tive diversas conversas com o presidente e, nesta fase, não somos capazes de fazer uma contraproposta", disse Reid no Senado.

Ele sustentou que os democratas podem fazer tal oferta ainda neste domingo. "Eu acho que o líder republicano está demonstrando boa fé. Só que divergimos em algumas questões bem grandes", Reid acrescentou.

O capelão do Senado Barry Black abriu a sessão de domingo com um apelo a Deus para os legisladores evitarem dificuldades econômicas. "Olhe com bons olhos a nossa nação e nos salve de ferimentos", disse Black em uma oração.

Se os senadores não concordarem em bases comuns, o aumento de impostos e o corte de gastos do governo tiraria 600 bilhões de dólares de estímulos à economia norte-americana.

O principal foco da negociação é o aumento de impostos para os mais ricos. O presidente Barack Obama defende a proposta. Os republicanos são contra, principalmente os conservadores fiscais da Câmara dos Deputados.

Obama chegou a fazer uma rara aparição num programa de entrevistas da rede NBC para pressionar os legisladores a chegar a um acordo.   Continuação...