Planta da Suzano no MA irá compensar energia de Capim Branco

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013 17:38 BRST
 

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 2 Jan (Reuters) - A energia que a Suzano Papel e Celulose irá gerar com a planta de celulose no Maranhão, a ser inaugurada no fim de 2013, deve mais que compensar a energia que a empresa obtinha com o Consórcio de Capim Branco, segundo o presidente da Suzano Energias Renováveis.

A Suzano colocou toda a sua participação em Capim Branco à venda para os demais integrantes do consórcio pelo valor total de 320 milhões de reais, sendo que a Cemig já aceitou a oferta. Também participam do consórcio a mineradora Vale e a Votorantim Metais.

"A gente investiu (no Consórcio) visando garantir energia", explicou André Dorf à Reuters. "Com a planta no Maranhão, vamos ter excedente de energia de 100 mega(watts) que vai ajudar a substituir os 50 mega (de Capim Branco)", ressaltou.

A participação da Suzano no Consórcio representa 81 MW de potência instalada e 51 MW médios de energia assegurada de duas usinas hidrelétricas.

No setor de celulose, é comum que as empresas utilizem a energia gerada no processo de produção do insumo para se tornarem autossuficientes.

INTERESSE DE PARCEIROS

A Suzano deve obter a resposta dos demais parceiros no Consórcio Capim Branco em aproximadamente 30 dias, definindo assim a venda de sua participação total no projeto.

Segundo Dorf, por enquanto apenas a empresa estatal de Minas Gerais aceitou a oferta da fabricante de papel e celulose. A empresa de energia também demonstrou interesse em eventuais sobras.   Continuação...