Setor privado da Alemanha cresce pela 1a vez desde abril--PMI

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 08:17 BRST
 

BERLIM, 4 Jan (Reuters) - O setor privado da Alemanha expandiu pela primeira vez em oito meses em dezembro, à medida que o setor de serviços se recuperou, sugerindo que a economia pode ter evitado uma contração no quarto trimestre de 2012.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) composto do instituto Markit, que mede a atividade nos setores industrial e de serviços, subiu para 50,3 em dezembro ante 49,2 no mês anterior, resultado um pouco acima da marca de 50, que separa crescimento de contração.

A leitura soma-se a sinais de otimismo na locomotiva econômica da Europa, onde dados recentes mostraram que a confiança do empresário e o sentimento dos analistas melhorou, o desemprego continuou próximo de mínimas pós-reunificação e as encomendas industriais saltaram, apesar de a produção e o sentimento do consumidor terem caído.

A atividade empresarial no setor de serviços cresceu no ritmo mais rápido desde abril, com o índice subindo para 52,0 em dezembro ante 49,7 no mês anterior. No entanto, o índice continuou abaixo da média de longo prazo de 52,9, num sinal de que a crise da dívida da zona do euro está afetando a Alemanha.

"O retorno ao crescimento entre os fornecedores de serviços da Alemanha ajudou a impulsionar o setor privado para o território de expansão durante dezembro, apesar de outra redução na produção industrial durante o mês", afirmou o economista sênior do Markit Tim Moore.

O PMI industrial do Markit, publicado nesta semana, mostrou que a atividade industrial encolheu pelo décimo mês seguido, à medida que a produção caiu e as novas encomendas recuaram.

A economia da Alemanha se sustentou relativamente bem durante os primeiros dois anos da crise da zona do euro, mas o crescimento desacelerou em 2012 e muitos economistas esperam contração no quarto trimestre, especialmente devido a uma queda na produção industrial de outubro e da diminuição do superávit comercial para o menor nível em mais de seis meses.

Mas a pesquisa PMI de dezembro mostrou alguns pontos positivos, com novas ordens de trabalho no setor de serviços subindo para o maior nível desde março, num sinal de que a demanda está se estabilizando.

Os níveis de contratação avançaram no ritmo mais rápido desde agosto, com fornecedores de serviços que admitiram trabalhadores extras apontando para aumento da atividade empresarial e planos de expansão de longo prazo.

O subíndice que mede as expectativas empresariais no setor de serviços saltou para 50,1 em dezembro ante 45,4 no mês anterior, o maior nível desde agosto.

(Por Michelle Martin em Londres)