Estoques de petróleo dos EUA têm maior queda em 10 anos

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 16:31 BRST
 

NOVA YORK, 4 Jan (Reuters) - As reservas de petróleo dos Estados Unidos despencaram em 11,1 milhões de barris na última semana de 2012, o maior declínio semanal desde fevereiro de 2001, com as refinarias reduzindo importações ao menor nível semanal em uma década, mostraram dados do governo dos EUA nesta sexta-feira.

A maior parte do declínio dos estoques foi concentrada na Costa do Golfo, onde as reservas caíram 10,3 milhões de barris na semana até 28 de dezembro, disse a Administração de Informação de Energia (AIE) em seu relatório semanal sobre os estoques dos EUA.

As importações de petróleo foram de apenas 7,094 milhões de barris por dia (bpd) na semana até 28 de dezembro, bem abaixo dos 8,025 milhões de bpd uma semana antes.

Importações líquidas de petróleo ficaram em 7,05 milhões de barris por dia, o menor nível em registros da AIE desde novembro de 2001.

No fim do ano declínios nos estoques de petróleo na Costa do Golfo são frequentes pois as refinarias buscam uma otimização fiscal sobre suas posições de inventário.

Analistas têm sugerido que algumas empresas podem ter adiado o recebimento de cargas estrangeiras de petróleo para otimizar suas obrigações fiscais e que as importações devem se recuperar em breve.

A reação do mercado sobre a queda dos estoques de petróleo foi discreta. Os futuros de petróleo bruto Brent caíram mais de 1 dólar por barril na negociação do meio-dia.

"As pessoas percebem que a queda é uma coisa relacionada ao imposto de fim de ano e que os estoques de produtos derivados, especialmente os destilados, vão aliviar preocupações sobre esses suprimentos", disse Phil Flynn, analista da Price Futures Grupo em Chicago.

Os estoques de produtos refinados subiram na semana. As reservas de gasolina subiram 2,6 milhões de barris, enquanto os estoques de destilados, uma categoria que inclui o diesel e o óleo para aquecimento doméstico, aumentaram em 4,6 milhões de barris.