Goldman Sachs vê preços firmes do minério de ferro em 2013

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 17:41 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 4 Jan (Reuters) - O preço do minério de ferro deve se manter em patamares elevados neste ano, com média de 145 dólares a tonelada no segundo semestre, diante de uma nova onda de procura por aço que tende a se intensificar na China, avalia o banco de investimentos Goldman Sachs.

A análise foi feita após a commodity ter disparado nas últimas semanas, superando o nível de 150 dólares por tonelada nesta sexta-feira, o maior valor desde outubro de 2011, de acordo com dados do Steel Index.

No primeiro trimestre, o preço da tonelada de minério deve ficar em média 132 dólares, subindo para 140 dólares no segundo trimestre e 145 dólares no segundo semestre deste ano, de acordo com o Goldman Sachs.

"Esperamos uma aceleração da demanda por aço na China em março", afirmou à Reuters o analista Marcelo Aguiar, do banco de investimentos.

Segundo ele, a alta do minério das últimas semanas se deve a um choque de oferta provocado pela proximidade do período de chuvas nos principais países produtores e a restrições das exportações na Índia, além de perspectivas positivas de recuperação da demanda.

Um real crescimento da produção de aço, prevê o especialista, ainda está por vir e deverá manter os níveis de preços elevados até pelo menos o final do ano.

Em meados de 2012, os preços do minério desabaram, com perspectivas negativas de crescimento econômico e estagnação da produção siderúrgica na China, o maior mercado consumidor.

A queda drástica do minério de ferro em 2012 por preocupações com a economia chinesa teve impacto nas exportações brasileiras no ano passado, além de ter afetado os resultados da Vale, a maior produtora global da commodity.   Continuação...