Wal-Mart defende-se contra acusações de rivais sobre publicidade

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 19:30 BRST
 

4 Jan (Reuters) - O Wal-Mart Stores defendeu-se depois que concorrentes acusaram a maior varejista mundial de uso de informações imprecisas em campanhas publicitárias recentes e apresentaram queixas junto a autoridades legais nos Estados Unidos.

A líder da indústria diz oferecer melhores preços em alguns produtos do que concorrentes, as quais mencionou nominalmente, em campanha no rádio e na TV, que começou a circular no ano passado.

O movimento levou competidores, incluindo Best Buy e Toys R Us a reclamarem com procuradores-gerais em vários Estados norte-americanos nas últimas semanas. A notícia foi publicada primeiro pelo Wall Street Journal na quinta-feira.

Os competidores argumentam que os anúncios do Wal-Mart utrapassam limites ao delinearem comparações enganosas ou promoverem produtos que a empresa não tem em grande quantidade.

Um porta-voz da Best Buy, disse à Reuters na sexta-feira que sua equipe jurídica entrou em contato com um "punhado" de procuradores-gerais de estados norte-americanos, incluindo Flórida, Michigan e Illinois.

O Wal-Mart defendeu sua campanha esta semana.

"Nós sabemos que os concorrentes não gostam quando dizemos para os clientes compararem os preços e verem por si mesmos", disse o porta-voz do Wal-Mart, Steven Restivo, ao Wall Street Journal na quinta-feira.

"Estamos confiantes sobre os padrões legais, éticos e metodológicos associados aos nossos anúncios comparativos de preços", acrescentou.

(Por Avik Das em Bangalore e Dhanya Skariachan em Nova York)