Minério volta a subir alimentado por maior demanda por aço

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 12:43 BRST
 

CINGAPURA, 7 Jan (Reuters) - Os futuros do aço da China atingiram seu ponto mais alto em mais de seis meses nesta segunda-feira, apoiados por um renascimento na demanda que tem alimentado uma nova onda de compra de minério de ferro, elevando a cotação da matéria-prima.

O preço do minério de ferro usado como referência no mercado aumentou novamente nesta segunda-feira, para 153,90 dólares a tonelada, uma alta de 0,6 dólar sobre um valor registrado na sexta-feira que já foi o mais elevado desde outubro de 2011.

O aumento recente dos preços de minério de ferro também tem sido motivado por retrições na oferta e analistas esperam que os preços permaneçam elevados nos próximos meses.

Os maiores produtores costumam reduzir volume nesta época do ano por causa das chuvas no hemisfério sul.

"Muitos estão esperando melhora na demanda por aço no primeiro trimestre para a maioria das fábricas continuar a produzir em escala completa e tem havido um pouco de escassez de cargas de minério de ferro no mercado", disse um trader de minério de ferro baseado em Xangai.

A alta levou algumas siderúrgicas chinesas a olhar para cargas mais baratas em outros lugares.

"Estamos recebendo mais pedidos de clientes perguntando se temos minério de ferro mais barato a partir de outras fontes que não consideravam no passado", disse um trader de Xangai.

"Eles estão olhando para cargas provenientes da Malásia, Indonésia e alguns países sul-americanos, como México e Chile, pois eles estão tentando reduzir o seu custo", acrescentou.

Recuperação da economia da China está em grande parte por trás do otimismo. Dados da semana passada mostraram que a atividade manufatureira na segunda maior economia do mundo foi a mais forte desde maio de 2011.

O contrato mais negociado vergalhões, com entrega para maio na Shanghai Futures Exchange, tocou 4.047 iuans (650 dólares a tonelada), o mais elevado nível desde 6 de julho, antes de encerrar a 4.004 iuans.

(Por Manolo Serapio, com reportagem adicional do Rio de Janeiro)